Evite o palmito clandestino. Exija o documento de procedência

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Com o aumento da demanda por palmito no período da Semana Santa, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) alerta os consumidores quanto à importância de checar a procedência dos produtos comercializados.

De acordo com funcionários do IDAF, os consumidores têm um importante papel neste trabalho. “Eles também podem contribuir para a redução dos índices de clandestinidade ao não adquirirem produtos sem comprovação de origem. Para saber a procedência, basta solicitar que o comerciante apresente os documentos exigidos para cada espécie”.

Desde o início de abril, o IDAF e o Batalhão da Polícia Militar Ambiental (BPMA) têm realizado fiscalização intensiva em Colatina. Nos últimos anos, houve uma redução na atividade clandestina de extração e comercialização de palmitos e é fundamental mantermos esses índices. É possível atender à demanda pelo produto sem prejudicar o meio ambiente

Segundo dados do IDAF e do BPMA, não houve infração na comercialização e extração em Colatina. Até o momento foram registradas infrações por comércio ou extração irregular somente nos municípios de Vila Velha, Linhares e Conceição da Barra.

Fonte: Site Governo do ES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular