Farmacêutico colatinense alerta sobre uso de dexametasona no combate a Covid-19

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

A sociedade brasileira de infectologia divulgou nesta terça feira dia 16 de junho de 2020 um informe sobre o novo coronavírus com tratamento de uso de dexametasona 6 mg ao dia como uma boa nova. Segundo a AMB foram feitos estudos randomizados e com grupo controle em pacientes infectados e sintomáticos, ou seja, pacientes com Covid-19 já usando ventilação mecânica, redução de 33,3% na mortalidade, em pacientes com Covid-19 necessitando de oxigênio sem uso de ventilação mecânica em 20% na mortalidade.

Segundo o Farmacêutico colatinense Paulo Cezar Scardua, na comprovação científica não houve diferença no quadro clínico de pacientes que não necessitam de ventilação mecânica.  “O grande problema é que com o uso indiscriminado e a falta de orientação de profissionais habilitados para tal orientação que nesse caso a prescrição tem que ser feito por um médico e orientado por um farmacêutico, os efeitos indesejados e colaterais de uso da dexametasona que é da classe de corticosteroides tem certos efeitos colaterais que pode ter consequências”.

Scardua relata os possíveis efeitos colaterais do corticoide:  “retenção de líquidos, aumento de peso, pressão alta, níveis elevados de açúcar no sangue, aumento da necessidade de medicamentos para controlar a diabetes, osteoporose, entre outros”. Revela o farmacêutico.  

“Muito cuidado ao administrar esse tipo de medicamento sem a orientação de um profissional habilitado, pois ao invés da cura tão desejada, pode-se agravar e muito as pessoas acometidas de comorbidades como diabetes, obesidade, hipertensão, entre outros”. Finaliza Paulo Cezar Scardua.  

Mais Notícias

Deixe um comentário