Secretária da Educação de Colatina esclarece dúvidas sobre possível volta às aulas presenciais

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

A Secretaria da Educação de Colatina fez uma pesquisa junto aos familiares dos alunos da Rede Municipal de Ensino, entre os dias 24 de agosto e 3 de setembro. O objetivo era saber o que os pais e responsáveis pensam de uma séries de ações que foram executadas e as que ainda serão realizadas neste período de pandemia. No total, 10.717 pessoas, entre pais e responsáveis, revelaram o que pensam das atividades da Secretaria e, principalmente, sobre a volta às aulas, através de um amplo questionário.

O ponto principal da pesquisa foi a demonstração de que 73,1% dos pais não enviariam seus filhos para a escola sem a liberação da vacina. O Portal de Notícias ESFALA traz uma entrevista exclusiva com a Secretária da Educação de Colatina, Rosimery Guedes Giles, analisando a pesquisa e a possível volta às aulas no município. 

ESFALA – O QUE ACHOU DO RESULTADO DA PESQUISA, NO QUE TANGE A QUESTÃO VOLTA ÀS AULAS PRESENCIAIS?

SECRETÁRIA:  As famílias de nossos alunos têm sido grandes parceiras nesses tempos de suspensão das aulas presenciais. O aprofundamento da relação entre escola e família consolidou-se ainda mais e poderá ser um dos legados pós-covid-19.

Nesse sentido, a consulta/pesquisa realizada pela SEMED dirigida às famílias dos alunos matriculados na Rede Municipal de Educação, teve por escopo não só abordar a questão do retorno às aulas presenciais, bem como conhecer a opinião/crítica das famílias acerca das ações educativas que vêm sendo propostas pela Rede no período  pandêmico, para que possamos, à luz das opiniões elencadas, aprofundar propostas ou corrigir rotas.

Ante o exposto, minha opinião é que a pesquisa nos ajudará sobremaneira a encaminhar questões importantes da Educação durante esse Estado de Exceção que estamos vivenciando.

ESFALA – QUAL A INFLUÊNCIA DESTA PESQUISA, NA RETOMADA DAS AULAS PRESENCIAIS?

SECRETÁRIA: Ao planejar ações que envolvam a comunidade há que se possibilitar uma escuta atenta/ativa dos envolvidos. O resultado da pesquisa nos oferecerá subsídios para tomar decisões, consolidar ações exitosas ou corrigir rotas.

Estamos num processo de planejamento ético e responsável com as unidades de ensino, onde a questão do retorno presencial é aguardada. Para tanto, o planejamento deve ser feito com antecedência objetivando subsidiar a escola para um retorno seguro e gradual, contemplando os seguintes aspectos: pedagógicos, psicossociais, sanitários e administrativos.

Vale ressaltar que tais aspectos foram e estão sendo objeto de Formação da Equipe SEMED para os servidores municipais – via Webinário. Essa ação da Rede Municipal de Educação denominada: Jornada de Planejamento Pedagógico – JPP será replicada pelas unidades de ensino, quando do retorno presencial.

ESFALA – A DETERMINAÇÃO DO GOVERNO DO ESTADO É ABSOLUTA OU MEDIANTE A PESQUISA EM COLATINA A CIDADE TERIA COMO NÃO VOLTAR COM ÀS AULAS?

SECRETÁRIA: A deliberação sobre as datas para retorno às atividades presenciais será dada pelas Secretarias de Saúde do Estado ES e do município de Colatina e, com isso, as unidadesescolares deverão observar procedimentos técnicos e sanitários que possibilitem esse retorno com segurança da comunidade escolar e em conformidade com as diretrizesestabelecidas no Plano Estratégico (para retorno) da Rede Municipal que está em fase de finalização. Esse subsidiará os planos estratégicos das escolas, que serão elaborados pelos Comitês escolares, conforme o da Rede.

ESFALA – EM RELAÇÃO ÀS AULAS ON-LINE, COMO ESTÁ SENDO A EXPERIÊNCIA?

SECRETÁRIA: Segundo dados da pesquisa, a experiência tem sido extremamente exitosa. Mais de 84% das famílias consideram, ao acompanhar os estudantes na realização das APNPs (Atividades Pedagógicas não Presenciais), que as atividades são de fácil compreensão e muito interessantes. Elencaram como satisfatório e muito satisfatório a ajuda/orientação que recebem dos professores, quando necessitam.

Sabemos que esse período de suspensão das aulas presenciais devido à pandemia da COVID-19 nos impulsionou a viver e fazer uma educação no município de Colatina em novos moldes. Tal momento tem sido muito desafiador, mas também tem nos proporcionado muitas aprendizagens significativas. Ficamos felizes e sentimos que estamos no caminho certo quando apuramos os resultados da pesquisa e esses demonstraram que mais de 90% das famílias estão satisfeitas e muito satisfeitas com o trabalho que as escolas municipais de Colatina vêm realizando neste tempo tão adverso.

As escolas têm recebido devolutivas positivas dos estudantes/famílias e muitas aprendizagens estão sendo construídas/fortalecidas com a parceria efetiva: Rede Municipal/escolas/famílias e estudantes. Destacamos a importância das famílias continuarem apoiando os estudantes na realização e devolutiva das atividades encaminhadas pela escola, considerando ser oportunidade ímpar de aprendizagem nesse tempo, além de serem computadas como carga horária para cumprimento da legislação e validação do ano letivo.

ESFALA – ENQUANTO SECRETÁRIA, O QUE PODERIA FALAR PARA OS PAIS DE ALUNOS QUE ESTÃO RETICENTES SOBRE A VOLTA ÀS AULAS?

SECRETÁRIA: Entendemos a preocupação dos pais quanto ao retorno presencial das atividades escolares, porque esta também é nossa preocupação. Estamos em fase de planejamento pautado nos protocolos de segurança estabelecidos pela SESA/SEDU para um retorno gradual e seguro, que não sabemos quando acontecerá.

ESFALA – QUAL A ESTRATÉGIA MONTADA PARA DAR SEGURANÇA AOS ALUNOS DIANTE DE TANTA PREOCUPAÇÃO?

– Estamos desenvolvendo um plano de ação que contempla:

· Planejamento antecipado das ações nas dimensões: pedagógica, psicossocial, administrativa e sanitária;

· Formação com TODOS os servidores que atuam nas unidades de ensino, observadas suas áreas de atuação, por meio de JPP de Rede e JPP escolar;

· Aquisição de materiais de assepsia e sanitização, bem como EPIs;

· Planejamento em Rede do retorno de forma gradual e em etapas/segmento;

· Retorno presencial – inicialmente com os professores para acolhimento e planejamento de ações com os alunos;

· Levantamento de alunos e servidores do grupo de risco;

· Estratégias Pedagógicas: Modelo educacional híbrido – continuidade de APNPs (Atividades Pedagógicas não Presenciais); Readequação curricular; Ensino por investigação; Pedagogia de Projetos e Avaliação Diagnóstica .  

Mais Notícias

Deixe um comentário