Covid-19: morte de mulher de 44 anos em Colatina causa comoção e revolta familiares

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Esta semana Colatina contabilizou mais um óbito ocasionado pela Covid-19. A vítima uma mulher de 44 anos, que era conhecida pela sua luta e pelos seus sonhos que não poderão ser mais realizados. Agricultora familiar, doceira muito conhecida em Colatina, Cristina Barcellos Lima, moradora da comunidade do Vale da Boa Esperança, interior de Colatina, deixa saudades e uma família magoada por ela ter ido várias vezes em hospitais e postos de saúde do município e não ter sido atendida adequadamente.

No dia 23 de agosto, Cristina começou a sentir os primeiros sintomas da Covid-19, mal estar, febre e dores no corpo. Após três dias com sintomas e passando mal, buscou o Hospital Sílvio Avidos para obter tratamento. O hospital não fez o exame para detectar a doença, porém, receitou os medicamentos para o tratamento da Covid-19.

No dia 26 de agosto, com a febre e os sintomas persistindo, procurou o posto de saúde do distrito de Reta Grande, interior do município, mas segundo relato de familiares, ela foi ignorada e o médico disse que a febre de 38,9 graus era de cunho emocional e disse que poderia voltar para a casa.

Em sua tentativa de melhorar Cristina Barcellos, voltou à cidade para buscar ajuda médica. Fez uma radiografia (particular) do pulmão e foi detectado que estava com pneumonia. Com o resultado e seu estado de saúde piorando a cada momento, buscou o Pronto Atendimento da Santa Casa de Misericórdia. Cristina conseguiu fazer o Exame Covid-19, mas o resultado sairia somente após oito dias. 

Segundo a família, a paciente até pediu a médica que a atendeu para olhar os exames de raio x, mas seu pedido foi ignorado e teve como orientação voltar para a residência e continuar administrando os medicamentos.

No dia 29 de agosto, já com muita falta de ar, foi internada no Hospital Silvio Avidos, onde fez novo exame cujo resultado demonstrou que seu pulmão estava 25% tomado pela doença. Com seis dias de internação um novo exame foi feito e desta vez a Covid-19 havia tomado 95% de seu pulmão. Após 18 dias lutando pela vida, sendo no Hospital Silvio Avidos ou na UTI da Santa Casa de Misericórdia, aos 44 anos, uma mulher forte, sem comorbidades vem a óbito.  

APELO FAMILIAR  

“Em plena pandemia, as pessoas não podem bater na porta de hospitais ou postos de saúde do município e serem ignoradas, principalmente como a minha irmã que estava com uma febre de 38,9 graus, onde um médico diz que a febre e sintomas são emocionais e orienta voltar para casa. A minha irmã ficou com febre por sete dias, batendo na porta de hospitais e cuja orientação era tomar medicamento e voltar para casa”. Afirma a irmã da vítima.

Cristina Barcellos Lima, agricultora familiar e muito conhecida pelos deliciosos chocolates que fazia artesanalmente para vender, faleceu aos 44 anos, deixando a filha Mayra Lima Pícoli, Lorenzo Lima Bandeira, familiares e amigos que sempre a admiravam pelo seu trabalho e dignidade.

“Ela era maravilhosa, a vida dela éramos nós os filhos, fazia tudo que tivesse ao seu alcance para mim e meu irmão. Uma guerreira. Gostaria de agradecer a todos que ligaram, rezaram, as correntes de orações e os amigos, por que em plena pandemia os amigos se manifestaram de todas as formas possíveis. Não sabíamos que ela era tão amada e conhecida”. Agradece a filha Mayra Lima Pícoli.

Mais Notícias

Deixe um comentário