Veja a última mensagem enviada por pai que assassinou a família em São Domingos do Norte

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A última mensagem que o pedreiro, Flávio Sandro Olmo, 42 anos, que cometeu um dos crimes mais bárbaros do Estado do Espírito, na cidade de São Domingos do Norte, foi revelada pela Polícia Civil que investiga o caso para saber o que motivou o assassino a tirar a vida da esposa e dos filhos. Na mensagem, encaminhada para uma amiga, ele disse que “não aguentava mais”.

A polícia Civil acredita que a mensagem, enviada às 4 horas da madrugada do dia 15 de junho, foi descrita após os assassinatos. Em seguida, Flávio acabou tirando a própria vida. O registro foi obtido pela polícia ao analisar os celulares da família durante o trabalho de perícia.

O delegado responsável pela investigação do caso, Rafael Pereira Caliman, acredita que o crime foi cometido porque o pedreiro não aceitava a separação da esposa. Na tarde anterior à tragédia, Flávio e Euzivania Marcelino de Souza, 40 anos, chegaram a conversar sobre o término do casamento e ele disse que “estava morrendo por dentro” com a situação.


Nas investigações, a polícia descartou que outra pessoa tenha participado dos assassinatos. O delegado afirmou que a investigação está em fase final e deve fechar o inquérito após ouvir as últimas testemunhas.

O responsável pelas investigações relatou ainda que todas as quatro vítimas tinham cortes no pescoço, provocado por um facão que foi encontrado na casa da família. Além disso, os dois filhos mais novos tinham afundamento de crânio, provocado por golpe de marreta.  

RELEMBRE O CRIME

Uma tragédia familiar chocou a população do pequeno Município de São Domingos do Norte, localizado no Noroeste do Espírito Santo, onde o cidadão Flávio Sandro Olmo, 42 anos, matou a esposa Eusivânia Marcelino de Souza, 42 anos e os filhos Anelise de Souza Olmo, 04 anos, Ítalo de Souza Olmo, 08 anos e Laisla de Souza Olmo, 18 anos e depois se matou por enforcamento.

Segundo informações da polícia, Flávio Olmo aguardou a família adormecer e durante a madrugada, de posse de uma marreta desferiu os golpes na cabeça das vítimas. Depois foi ao quarto do casal, amarrou uma corda no telhado e se enforcou. Segundo familiares o casal estava em processo de separação.

Ainda de acordo com a polícia, as vítimas estavam em três quartos diferentes. As duas crianças estavam em um quarto, em beliche, a filha mais velha em outro quarto sozinha e a esposa na cama do casal. A polícia foi acionada e compareceu ao local e acionou a Polícia Técnica para remover os corpos.

ESFALA/Informação A Gazeta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular