Empreendimento com investimento de 25 milhões está parado há 18 meses por possível falta de agilidade de Prefeitura de Colatina

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O Brasil vive um momento de recessão em praticamente todos os municípios da federação. O desemprego atinge quase 13 milhões de pessoas, a informalidade ultrapassa 18 milhões. Isso significa que é momento do poder público, encontrar alternativas para amenizar a falta de investimento em todos os setores. Em Colatina não é diferente; vários setores estão em recessão e se fazem necessárias atitudes eficazes por parte dos governantes.

Na ultima sessão da Câmara Municipal foi demonstrado às dificuldades que dois empreendimentos estão tendo para conseguir se estabelecer no município e construir seus imóveis. Segundo o Vereador Renan Bragatto existem dois empreendimentos e ambos esperam 18 meses cada por licenças e alvarás.  

Segundo informações extra-oficiais mudanças na direção da Pasta que trata da questão está causando grande parte dessa demora, pois o Secretário que sucede não dá continuidade ao trabalho do que saiu. Com isso todo o processo não tem continuidade e recomeça do início.

Um dos empreendimentos será um Edifício Comercial com 130 salas. O investimento será de aproximadamente 25 milhões de reais o que impulsionaria a geração empregos, aquecimento no comercio diretamente ligado a construção civil, e consequentemente  traria divisas para o município. Um outro empreendimento será um Polo Industrial. O local escolhido é próximo ao Shopping Moda Brasil. 250 lotes destinados a instalações empresarias.

Além da espera de 18 meses, um licenciamento exigido pela administração do município, segundo o Vereador, é o IPHAN (Instituto do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional) tendo o objetivo de analisar se a na região resquícios de cultura ou fosseis históricos. Somente a contratação de um Arqueólogo para a prestação do serviço o valor estipulado é de 60 mil reais. 

Empresários ressaltam que há tempos acontece  a morosidade do poder público municipal nestas questões de licenciamentos, alvarás e trâmite documental. Empreendedores do município dizem que é um gargalo que não se resolve e com isso a cidade perde poder de crescimento e competitividade.

A dinâmica das cidades da região em captar empresas e manter as já existentes estão cada vez mais eficazes. Profissionais de mercado estão sendo contratados por administrações municipais para “vender” o que as cidades têm de melhor para convencer as empresas a se instalarem e é importante que Colatina se adapte aos novos tempos.

O jornalismo do ES-FALA entrou em contato com o setor de Comunicação da Prefeitura Municipal de Colatina e nos foi informado que por motivo de luto familiar do secretário Juliano Torezani da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (SEDUMA) não poderia ser contactado e que em breve daria a versão da administração sobre o assunto.

Redação: ES-FALA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular