Após marcar encontro pelo Facebook, mulher é estuprada em Colatina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Um caso de estupro ocorreu neste final de semana em Colatina. Segundo informações, a mulher teria sido violentada por horas no interior de sua residência. O fato ocorreu em um dos bairros que fazem parte da Grande São Silvano.

De acordo com as informações de uma parente da vítima ela teria conhecido um homem pelo Facebook e marcado um encontro com o mesmo no dia 27 (sábado), na Avenida Beira Rio. Após se encontrarem os dois iniciaram uma conversa. O homem, identificado como A., começou a agredir a mulher roubando-lhe documentos pessoais e o aparelho celular.

Mais tarde a vítima teria conseguido recuperar o celular e em seguida A. a violentou no assento do banco da Avenida Beira Rio e depois foi até o bairro São Marcos e na casa de uma mulher, trocou os trajes e posteriormente foi para uma residência em outro bairro, onde novamente violentou a vítima.

No dia seguinte familiares descobriram que a vítima tinha sido estuprada durante toda a noite por A.
Segundo informação, autoridades policiais foram até o possível paradeiro do estuprador que seria em uma fazenda, no interior de Colatina. Lá os militares não o encontraram. Receberam informação de que ele poderia estar na casa de uma mulher no bairro Ayrton Sena, onde também não foi encontrado.

A vítima ficou de ir até o Instituto Médico Legal (IML) pois estava muito abalada emocionalmente. O nome da mulher abusada sexualmente, o bairro e o nome do estuprador não serão revelados para resguardar a identidade da vítima.

O Brasil nos últimos anos contabiliza mais de 180 estupros por dia. A maior parcela de vítimas é do sexo feminino (82%), vem acompanhado de outras modalidades de crimes contra mulheres, como feminicídio e agressão doméstica.

Historicamente, o crime de estupro tem baixa notificação, devido ao medo de retaliação por parte do agressor, receio da vítima do julgamento e constrangimento. Segundo relatório do Fórum de Segurança Pública, apenas 7,5% das vítimas de violência sexual no Brasil noticiam a polícia.   

Mais Notícias

Deixe um comentário