Colatina recebe Capacetes Elmos para tratamento da Covi-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Colatina irá receber 16 Elmos, capacetes de respiração assistida, criados por pesquisadores do Ceará.  Os capacetes estão sendo usados em todo país para auxiliar a recuperação de pacientes com insuficiência respiratória, causada pelo coronavírus.

O Elmo, é um capacete de respiração artificial não invasivo que reduz em até 60% a necessidade de internação em UTI e a intubação de pacientes com Covid-19. O Elmo contribui para a melhora do quadro respiratório dos pacientes com insuficiência respiratória aguda hipoxêmica, que é quando o pulmão não consegue captar oxigênio. O aparelho tem ajudado no manejo desses pacientes, sem a necessidade de suportes invasivos, sem precisar utilizar as UTIs [Unidade de Terapia Intensiva], além de possibilitar um menor tempo de internação no hospital.

“Buscando soluções para o enfrentamento da Covid-19 em nosso município, após muitas pesquisas, vimos o que estava sendo feito no Ceará, e os bons resultados com o uso do Elmo. Buscamos a parceria da Findes, para trazer os capacetes para nossa cidade e assim desafogar as UTIs e proporcionar um tratamento menos invasivo”, destacou o vereador Miguel.

Os Elmos entregas nesta semana nos hospitais atendem pacientes com Covid em Colatina: Hospital Silvio Avidos, Hospital São José e Santa Casa.

Funcionamento

Acomodado ao pescoço do paciente, o Elmo permite ofertar oxigênio a uma pressão definida ao redor da face, sem necessidade de intubação. Dessa forma, a pessoa consegue respirar com auxílio da pressurização e oferta de oxigênio. O sistema possibilita, portanto, a melhora na respiração e pode ser utilizado fora de leitos de UTI.

O equipamento pode ser desinfectado e reutilizado até cinco vezes. Outro benefício é o custo inferior em relação aos respiradores mecânicos e a maior segurança para os profissionais de saúde, já que, por ser vedado, não permite a proliferação de partículas de vírus. Além disso, o equipamento será um legado da pandemia para a saúde e pode tratar outras enfermidades que comprometem o funcionamento dos pulmões, como pneumonia e H1N1. Se o Elmo era o nome do capacete que garantia a proteção dos guerreiros medievais, nos tempos atuais irá proteger e preservar a vida de pacientes na batalha contra a Covid-19.

ESFALA/Informação A Folha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular