Motorista embriagado que ocasionou acidente onde pai e filha morreram pagou fiança e tem liberdade decretada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Após poucos dias de detenção, por ocasionar o acidente que levou a óbito José Idalino Nepell de 44 anos, e sua filha,  Maria Karoline Neppel 23 anos, o motorista  Uanderson Elias Delfino, pagou fiança no valor de R$ 10.000,00 tem liberdade decretada.

O motorista que causou a morte de duas pessoas, pai e filha, na noite de quinta-feira (1º), em Colatina, já havia sido preso por beber, dirigir e causar outro acidente de trânsito em 2018. Na época estava conduzindo uma motocicleta e se envolveu em um acidente que deixou a própria sogra ferida.

Na época, ele também foi preso, no dia 27 de agosto (2018), mas acabou sendo liberado quatro dias depois. 

Nas redes sociais, o Capitão Carlos Balbino, Comandante da Primeira Companhia da Polícia Militar, se manifestou a respeito e abordou outras ações policiais que envolvem motoristas embriagados:

” O precedente da impunidade torna o crime recorrente”..Infelizmente nossa legislação não oportuniza cumprir os objetivos pedagógicos e punitivo do Direito Penal. Indivíduo que vitimou pai e filha em uma imprudência no trânsito, conduzindo veículo embriagado, mesmo respondendo processo pelo mesmo fato, teve sua liberdade provisória decretada com recolhimento de fiança de 10 mil reais. A decisão veio na audiência de custódia que aconteceu neste sábado.

Sabemos os limites que a lei impõe. Continuaremos firmes cumprindo nossa missão. Não temos como trazer as vidas de volta. Mas a justiça poderá impedir que novas famílias sejam destruídas.

Mesmo sabendo que estamos fazendo de tudo para evitar essas tragédias. Ainda assim fica a sensação que poderia ter sido feito mais. Ontem tiramos de circulação seis condutores embriagados, pelo menos no período da noite, e tantos outros que deixaram de ir para as ruas.

Tivemos vários casos na noite. Mas um me chamou atenção. Um jovem com mais cinco pessoas, em um carro, na curva chegando no Camata Veículos, quando viu a blitz empreendeu uma fuga de marcha ré com um desespero total. Bateu na lateral da pista e uma jovem quase caiu quando a porta abriu. 

Irresponsabilidade que poderia ter custado a vida de uma família que estava vindo da igreja. Motorista desviou. Fizemos acompanhamento e o condutor estava sem condições algumas. Teste do bafômetro chegou perto de 1.0 GM/l. Preso e veículo recolhido.

Triste realidade”. Afirma o Capitão.

3 respostas

  1. Parabenizo ao capitão Balbino pela assertividade em suas inexoráveis considerações acerca da flexibilidade de nossa Jurisprudência, que deixa perpassar da higidez moral ao juízo do menoscabo coletivo da cultura do “dá nada não”, ao avanço das fronteiras das mais perversas e hediondas condutas que resultam até em um duplo homicídio.
    “Mollis Lex sed Lex.”

  2. Q triste .o dinheiro compra tudo mesmo está e a realidade.como fica a família. Sensação de impunidade .como se uma vida não valese nada

  3. Prezada Marlene.
    Quantas vidas terão que ser ceifadas, quantas jovens professoras que ensinariam jovens e crianças a serem cidadãos de direitos e deveres, educando o sujeito para a civilidade social ainda terão sua precoce carreira interrompida para mudar essa triste realidade de que, com fianças, compra-se os favores da flexibilidade da Lei?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular