Governo do Estado antecipa dose de reforço contra Covid-19 para trabalhadores da Saúde

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Garantir imunização contra Covid-19 para todos os capixabas aptos é um dos objetivos do Governo do Espírito Santo. Com o intuito de dar celeridade ao processo, a Secretaria da Saúde (Sesa) antecipou a dose de reforço aos trabalhadores da saúde para cinco meses após completar o esquema vacinal com segunda dose ou dose única.

A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado, desta sexta-feira (15), por meio da Resolução N° 173/2021 da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). O Estado distribui doses de reforço para este grupo desde o início de outubro, entretanto, só podiam ser vacinados aqueles que finalizaram o esquema há, no mínimo, seis meses.

Para essa ação devem ser utilizadas, preferencialmente, doses da Pfizer/BioNTech. De forma alternativa, podem ser aplicados os imunizantes Janssen ou Astrazeneca/Fiocruz. De acordo com o Painel de Vacinação – Aplicação de Doses, 17.159 trabalhadores da saúde já receberam a dose de reforço no Estado.

Documentos para vacinação

Para ser imunizado com a dose de reforço, os trabalhadores de saúde devem apresentar documento comprobatório de que pertencem ao grupo prioritário, são eles:

– Crachá e declaração do serviço de saúde onde atua;

– Contracheque;

– Contrato de trabalho;

– Carteira de trabalho;

– Carteira do conselho de classe e declaração do serviço de saúde onde atua.


Os acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em saúde em estágio regular hospitalar; atenção básica; clínicas; e laboratórios deverão apresentar uma declaração emitida pela coordenação do curso descrevendo o período e o local onde prestam os serviços.

Vale destacar que a vacinação será apenas para estagiários com jornada semanal de 16 horas, que estejam frequentes e com ação direta em serviço de saúde.

Uma resposta

  1. É mais do que justo!!

    Esses profissionais estão na linha de frente no combate às doenças e desde o início da Pandemia têm atuado incessantemente na luta contra a Covid-19, expostos diariamente a contágio por coronavírus em contato direto com infectados nos hospistais ou com o público em geral nas campanhas de vacinação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular