Parlamentar e Ministério Público querem saber porque as obras das encostas não estão sendo realizadas

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

O Vereador Renan Bragato ocupou a Tribuna da Câmara para denunciar a Administração Pública em relação às obras das encostas de bairros que sofreram desmoronamentos  alguns anos atrás em Colatina. Segundo o parlamentar a empresa responsável pelas obras enviou resposta e fotos, a questionamentos sobre a ausência de trabalho no município,  demonstrando que as obras estão sendo realizadas. No entanto Renan ressalta que essas obras não existem e argumenta que ” só se a empresa está fazendo obras em outra cidade, por que em Colatina não está fazendo não. Limparam as áreas e até hoje as obras continuam paradas”.

Outro ponto que é argumentado é que em uma semana foram feitos dois aditivos financeiros, sendo um no valor de 146 mil reais e outro de 126 mil reais. As datas estabelecidas são do dia 1º e 8 de Agosto. Em conversas após o pronunciamento do vereador Bragato o questionamento no plenário era, como fazer um aditivo financeiro sem as obras estarem sendo executadas?

Como foi exposto em outras oportunidades, na própria Câmara, não há nenhum valor oriundo do Governo Federal nas contas deste convênio junto a administração pública; com isso os recursos do aditivo são próprios da Prefeitura Municipal de Colatina. 

Outra denúncia do vereador é que houve um erro de projeto, e por isso que as obras das encostas do bairro São Brás não estão acontecendo e que a ação da empresa será colocar simplesmente uma lona no local. 

A preocupação é com a chegada das chuvas, pois a vegetação presente no local, de certa forma protegia do desmoronamento, mas com a limpeza  do local essa proteção natural findou-se.

Essa preocupação não é só do vereador colatinense, mas também do Ministério Público de Colatina, pois o mesmo  enviou um oficio para administração municipal para obter resposta sobre o andamento da obra que deveria estar em andamento.

Segundo o Ministério Público existe um procedimento com o objetivo de apurar inclusive o processo licitatório, pois as duas empresas que ganharam tinham o mesmo representante na licitação. O ministério Público quer averiguar a lisura do processo licitatório, mas também está preocupado com o a chegada do período das chuvas e suas consequências no referido local, pois geram riscos iminentes para a os moradores.

A Administração do Município não reconhece a paralisação das obras. Alega que por ser uma construção que terá 12 meses de duração, pode parecer que nada está acontecendo, mas está sendo seguido o cronograma. Segundo a Secretaria de Comunicação da PMC, a resposta será emitida pelo próprio Prefeito Sergio Maneguelli. Pois participou de reuniões e quer esclarecer o caso para a população colatinense.   

Receba notícias por e-mail

Deixe um comentário