Morador de Santa Teresa contaminado por coronavírus diz ser alvo de “fake news”

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

O Teresense Henriky Breda Rafalski, primeiro caso confirmado do novo coronavírus em Santa Teresa, divulgou um relato nas redes sociais contando como tudo aconteceu e como está sendo o tratamento. Ele retornou de uma viagem ao exterior na semana passada e foi diagnosticado com o vírus.

Se não bastasse ter que conviver com o vírus, segundo o dentista, ele está sendo vítima de “Fake News”, em Santa Teresa. O dentista relata que, há pessoas dizendo que ele não se isolou ou que foi visto no supermercado. ” Estou muito triste, pois eu tive todos os cuidados para não contaminar ninguém, sem ao menos saber que estava com o vírus ou tendo sintomas. E algumas pessoas estão inventando coisas. Falando que eu fui irresponsável. Que eu não fiz isolamento. Que me viram em supermercado, isso está me deixando mais para baixo do que o vírus em si. A mentira é pior que o vírus pra mim”. Revela o dentista.

Mesmo diante dos ataques na manhã desta terça-feira (24), Henriky reforça o pedido para que todos fiquem em casa: “Fiquem em casa, que juntos vamos superar. Fica comigo o sentimento de dever cumprido e lavo minhas mãos por saber que nenhuma contaminação sairá por mim”.

Conheça a trajetória do dentista: 

1 – Viagem para a Europa

De acordo com o relato, em setembro do ano passado, Henriky comprou as passagens para a Áustria. Na época, não existia informação sobre o novo coronavírus. Segundo ele, em março continuou monitorando a situação nos países que já registravam casos da doença.

“Minha viagem era no dia 05 de março. Como o país que iria visitar estava fora da área de risco e sem restrições, e na impossibilidade na época de alterar o voo, decidi continuar a viagem e ir para a Áustria, volto a lembrar, país que até então não era área de risco. A viagem aconteceu de forma normal, não haviam orientações de isolamento. Mesmo assim, sabia que tinha um vírus causando problemas na Europa. Na incerteza, decidi por usar álcool em gel, lavar constantemente as mãos, evitar locais aglomerados. Na semana seguinte, toda a Europa estava em colapso, o país que estávamos orientou que ninguém saísse de casa, assim como acontece agora no Brasil, e assim o fiz”, descreve.

2 – Retorno ao Brasil

Segundo o capixaba, o retorno ao Brasil aconteceu na última quarta-feira (18). “Sabendo que só pelo fato de eu ter passado em aeroportos eu já poderia ser um vetor do vírus, mesmo sendo assintomático, peguei meu carro e segui para a minha residência, não saí absolutamente para nada, nem para tirar o lixo de dentro de casa. Na sexta-feira, do dia 20 de março, uma agente da dengue bateu em minha porta pedindo para fazer o controle da dengue, eu a orientei que não entrasse, pois eu havia acabado de chegar de uma viagem e não poderia ver ninguém. Imediatamente, ela notificou a Vigilância em Saúde do município, que entrou em contato comigo”, explica.

3 – Sintomas Fracos

O dentista conta ainda que no mesmo dia desenvolveu alguns sintomas da doença, como tosse fraca e febre, requisitos para que ele fosse submetido ao teste. “Fiz o teste e o resultado deu positivo para o coronavírus. Sigo assintomático, vida normal, porém continuo com isolamento 100%”, relata

Mais Notícias

Deixe um comentário