Caso das encostas: por falta de provas auditor pede arquivamento de processo contra Meneguelli

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Um dos assuntos mais polêmicos de 2019, o problema das licitações das encostas em Colatina, teve por parte do MP do Tribunal de Contas, o pedido de arquivamento por falta de consistência por parte do propositor. Desta forma, o Auditor do Conselho Externo Alfredo Aucure Neto, recomenda que o processo não seja acolhido.

O Vereador Renan Bragatto na ocasião encaminhou uma representação de inconsistência de concorrência pública e como argumento principal, alegou ao T.C., que o Ministério Público expediu notificação recomendatória pela suspensão da execução do contrato.

Alfredo Aucure Neto diz que o Vereador Bragatto em sua denúncia não apresentou nenhuma descrição da suposta irregularidade, o que fez foi levar cópia do processo investigativo do Ministério Público. Quando representou junto ao Tribunal de Contas, o vereador pediu um rigoroso procedimento de apuração de todos os atos do certame licitatório, a fim de proibir qualquer ato de improbidade administrativa, mas sem elementos suficientes para tal estudo.

O Vereador Renan Bragatto alega que a representação foi arquivada, porque as licitações foram canceladas. “Está acontecendo as investigações junto ao Ministério Público e a CPI da Câmara de Colatina, isso é que importa”. Afirma o vereador. “O que deve ser explicado pelo prefeito é o por que até hoje não lançaram a nova licitação, para onde foram os R$ 500 mil que ele pagou? Isso não cabe ao Tribunal de Contas e sim CPI”. Relata Bragatto. A CPI das Encostas está suspensa devido às atenções estarem voltadas totalmente ao combate à pandemia.

A proposta do auditor é pela extinção do processo sem julgamento de mérito e arquivamento do processo. A falta de provas e clareza na denúncia foram fundamentais para que o Tribunal de Contas tomasse esta decisão.  

Mais Notícias

Deixe um comentário