Lideranças comercias reagem à fala do Prefeito Sergio Meneguelli. “O presidente da CDL faltou com a verdade”.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

 

A relação entre o prefeito Sérgio Meneguelli e os comerciantes de Colatina não é das melhores já há algum tempo. O episódio como a polêmica da ciclovia de São Silvano, onde ocorreram manifestações e ações junto ao Ministério Público por parte dos empresários, fez a temperatura subir no município.

Na época, ficou claro o distanciamento entre o Poder Público e os comerciantes da cidade. Após o novo decreto municipal em razão da pandemia, assinado no dia 8 de maio, modificando o horário do comércio na cidade surgiu uma nova polêmica entre o Poder Público e esse setor organizado da sociedade.

Após matéria publicada pelo Portal de Notícias ES-FALA, sobre a insatisfação do segmento comércio com o novo decreto sobre os horários de funcionamento das lojas que começou a vigorar nesta quarta-feira (13) em que o setor se sentiu excluído das decisões o debate ganhou proporção nas redes sociais e a pauta foi adotada por outros órgãos de comunicação que deram a importância que o tema merece.

A troca de acusações ocorreu inicialmente entre o Prefeito Sérgio Meneguelli e o Presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Colatina (CDL), Ricardo Marim.

Inicialmente, Marim relatou que os lojistas não participaram das decisões do novo decreto, afirmativa negada pelo prefeito que acusou o dirigente lojista de faltar com a verdade.

 Segundo Meneguelli, o presidente da CDL como também do Sindlojistas, Júnior Menegatti, enviaram mensagens gravadas dando as sugestões.“O presidente da CDL, Ricardo Marim, enviou áudio dando as sugestões. Inclusive fechar o comércio aos sábados, foi uma sugestão do Sindilojistas”. afirmou o prefeito. 

A frase “faltou com a verdade” proferida por Sérgio Meneguelli, causou enorme desconforto aos representantes dos setores do comércio no município, que em áudio, se manifestaram demonstrando a insatisfação e reafirmando as acusações ao prefeito em não ouvir o setor nas decisões tomadas sobre o comércio.  

“Nos foi pedido a sugestão em relação ao funcionamento do comércio no sábado, dia 9, e o decreto foi assinado no dia 8. Isso causou uma revolta grande na CDL Colatina” afirma Marim. “Nem iria trazer isso para a mídia, mas por ele ter me chamado de mentiroso, eu tenho que colocar os fatos”. Disse Ricardo Marim. Ele não nega que tenha enviado o áudio com as sugestões, mas que não foram acatadas.

Quem se manifestou sobre o assunto, colocando um tom desafiador nesse ambiente de descontentamento foi o Presidente do Sindilojistas, Júnior Menegatti. Além de ratificar a fala de Marim, Menegatti assume que enviou o áudio e deu a sugestão do fechamento do comércio aos sábados. mas relata que: “Não nos convidaram para conversar; em momento algum dialogamos com o prefeito para discutir sobre o decreto. Quem entende de comércio somos nós”. afirma o dirigente lojista. 

O Prefeito Sérgio Meneguelli alega que está solicitando dos setores sugestões de cada área e após ouvir as opiniões é definido o que fazer pela equipe da Prefeitura de Colatina. “Se a gente for ouvir o que só os comerciantes querem só vai ser do jeito deles”. afirma o prefeito.

Finalizando a sua manifestação em áudio gravado e exposto nas redes sociais e grupos de aplicativos, o presidente do Sindilojistas, novamente demonstra sua insatisfação ao relatar, “parece que somente no comércio se contrai coronavírus. Nos supermercados, filas de bancos, pontos de ônibus não pegam”.  Junior Menegatti solicita uma entrevista que envolva o prefeito e os presidentes da CDL e Sindilojistas para que seja esclarecido os fatos.

A cidade mais uma vez observa a dificuldade de relacionamento que ocorre entre o Poder Público municipal e o setor comercial de Colatina. O prefeito alega que os setores participaram da decisão do novo decreto ao mandar o áudio com as sugestões, por outro lado, os representantes dos setores dizem que enviaram um áudio com sugestões, mas que  não discutiram as decisões com a equipe, pois não foram convidados para a reunião. Decisões essas que influenciam a vida de milhares de trabalhadores da cidade.     

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular