Sexta morte por Covid-19 em Colatina: paciente deu entrada no hospital devido a fratura no fêmur

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

A sexta morte por Covid-19 em Colatina é de uma senhora de 89 anos, que deu entrada no hospital Silvio Avidos há 17 dias devido a uma lesão no braço e no fêmur, ela sofreu uma queda em sua residência. Com a queda, devido à idade avançada, ocorreram as fraturas

Catarina Prates Penitente, 89 anos, após fraturar o fêmur e o braço, foi levada para um hospital particular no município de Colatina, mas seu plano de saúde não cobria o procedimento cirúrgico, então foi encaminhada para o Hospital Sílvio Avidos no dia 23 de maio e foi levada para área de traumatologia, tendo como objetivo iniciar os preparativos da cirurgia o mais breve possível.

Com o passar dos dias dona Catarina foi conduzida a sala de cirurgia para fazer o procedimento, mas não foi possível pelo seu frágil estado de saúde. Foi colocado então em sua perna um aparelho e novamente voltou para a enfermaria. Após aproximadamente sete dias hospitalizada a idosa foi transferida para a UTI do hospital Silvio Avidos. 

“Minha mãe Catarina, não saia de dentro de sua casa, ela se cuidava e a gente também se cuidava para evitar qualquer tipo de contágio para ela. Quando minha mãe entrou no hospital não havia sintomas de gripe ou de qualquer outro problema que não fosse a fratura nos ossos”. Relata seu filho Dionísio Penitente.

Segundo o Diretor do Hospital Sílvio Avidos, “não há evidências de que houve contaminação no hospital pelo tempo de evolução. É sabido que temos contaminação comunitária do vírus, que possivelmente se contaminou antes da internação”. Afirma Almiro Schmidt. O diretor ressalto que o HMSA possui protocolo e treinamentos internos para enfrentamento do Covid-19.

Segundo médicos infectologistas o portador do vírus pode ficar assintomático por dias e somente depois de um determinado período surgem os sinais. Desta forma, não é possível saber com exatidão se a contaminação ocorreu dentro ou fora do Hospital.  

Dona Catarina Prates Penitente, sempre foi uma mãe zelosa, toda vida trabalhou no lar, e teve três filhos que lhe proporcionaram cinco netos. 

Mais Notícias

Deixe um comentário