Empresa colatinense conquista recertificação em norma internacional para a segurança de alimentos

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

A empresa colatinense Frisa acaba de conquistar mais um reconhecimento do trabalho desenvolvido. A empresa mantém a certificação para a norma de segurança de alimentos, demonstrando conformidades em grau elevado exigido pela normal global em função do trabalho desenvolvido, com o recebimento do conceito AA na auditoria de recertificação pelo BRC. A auditoria aconteceu entre os dias 22 e 27 de junho em Colatina (ES) e Nanuque (MG).

“A nota máxima é um reconhecimento do nosso cuidado e rigor em nossos processos. Mantivemos a nossa auditoria em 2020, mesmo com a pandemia, porque acreditamos no nosso potencial, mas foi um grande desafio. Tudo foi feito com as medidas de segurança recomendadas pelo Ministério da Saúde e Agricultura, um desafio a mais considerando todas as complexidades causadas pelo Coronavírus. Os resultados alcançados diante da harmonização dos procedimentos foi fantástico”, afirmou a gerente de qualidade do Frisa, Rosangela Guedes.

Trata-se de uma Norma Global de Segurança Alimentar em que as empresas alimentícias são certificadas mediante a realização de uma auditoria feita por um auditor de uma empresa independente – o organismo de certificação.

A norma BRC é reconhecida pela Global Food Safety Initiative (GFSI), um programa que visa harmonizar as normas internacionais de segurança de alimentos com o apoio dos maiores varejistas e fabricantes de alimentos do mundo.

A certificação auxilia os fabricantes, proprietários de marcas e varejistas a cumprir as suas obrigações legais e proteger os consumidores. A Norma Global de Segurança Alimentar foi desenvolvida para especificar os critérios de segurança, qualidade e operação dos alimentos que devem ser colocados em prática por uma empresa de produção de produtos alimentícios, a fim de que ela cumpra as obrigações relativas à conformidade legal e à proteção do consumidor.

O formato e o conteúdo da Norma permitem a avaliação das instalações, sistemas, colaboradores e procedimentos operacionais de uma empresa por um terceiro competente – o organismo de certificação – com base nos requisitos da norma.

Mais Notícias

Deixe um comentário