Entrega de 3.400 kits com alimentos para alunos da rede pública municipal acontece nesta terça-feira (18), em Colatina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Na próxima terça-feira, dia 18, a Secretaria Municipal de Educação de Colatina vai realizar mais uma entrega de kits de alimentos para alunos da educação infantil, da rede de ensino. Serão contemplados os mesmos 3.400 alunos que receberam os kits entregues nas outras duas etapas anteriores, e que fazem parte do Cadastro Único, que vivem na linha de pobreza e de extrema pobreza.

Desta vez serão entregues dois kits, um com produtos provenientes da Merenda Escolar, e outro da Agricultura Familiar do município. 

VOLTA AS AULAS

Após cinco meses suspensas, devido à pandemia do novo coronavírus, as aulas presenciais nas escolas públicas e privadas do Espírito Santo, devem ser retomadas em breve. O Governo do Estado já publicou, em edição extra do Diário Oficial, uma portaria que estabelece medidas administrativas e de segurança sanitária para retorno das atividades.

Dentre algumas medidas estabelecidas na Portaria, que entra em vigor já nesta segunda-feira (10), estão o distanciamento social, uso obrigatório de máscara para alunos e colaboradores, higienização frequente das mãos, suspensão de atividades esportivas coletivas e do uso compartilhado de brinquedos ou outros materiais. As instituições de ensino terão um período para se adequar, portanto, ainda não há uma data certa para retorno das aulas. 

“A portaria traz uma série de procedimentos sanitários e administrativos para que as escolas públicas e privadas possam se organizar para a volta às aulas, quando isso ocorrer. É um documento fundamental para que os gestores das unidades escolares e das redes de ensino, possam se organizar, sobretudo do ponto de vista administrativo, para cumprirem os protocolos sanitários estabelecidos pelas autoridades de saúde do Espírito Santo”, explica o secretário de Educação, Vitor de Ângelo, em vídeo enviado à equipe da Rede Vitória. 

Em relação à educação infantil, que não foi contemplada na Portaria, o secretário afirmou que um ato específico e posterior tratará dos procedimentos e protocolos referentes à primeira etapa da educação básica. A expectativa, segundo ele, é que isso ocorra ainda nesta semana. 

“Ali, na portaria, estão previstos os procedimentos e protocolos para todas as etapas, modalidades e ofertas de ensino no estado do Espírito Santo, à exceção da educação infantil, que como foi dito pelo próprio governador há alguns dias, ainda necessita de definições finais. Portanto, a nossa decisão foi, por hora, publicar essa portaria, e deixar para os próximos dias a definição desses últimos procedimentos e protocolos relativos à educação infantil. Nossa expectativa é que isso ocorra ao longo desta semana e findado este período, a gente tenha um segundo documento tratando especificamente desta etapa de ensino tão delicada”, explica.

Escolas particulares

As instituições de ensino particular do Espírito Santo já elaboraram um protocolo de medidas a serem adotadas quando as aulas puderem ser retomadas. Na quinta-feira (6), em entrevista, o superintendente do Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo (Sinepe-ES), Geraldo Diório, explicou que a elaboração foi feita, inicialmente, pela Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), no início de abril. Depois, o protocolo foi encaminhado para todo os estados, que adaptaram as medidas conforme sua realidade.

“Cada estado fez sua regionalização. O do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais e de outros estados, por exemplo, é diferente do Espírito Santo. Dentro desse protocolo que nós regionalizamos, tivemos a participação de especialistas de diversas áreas. Podemos dizer que ele é comparável com os melhores protocolos elaborados em termos mundiais. Estamos tendo todo cuidado para voltarmos com a máxima segurança”, destacou Diório.

O superintendente do Sinepe ressaltou que o documento foi encaminhado para todas as escolas particulares do estado, que também fizeram as devidas adequações. “Cada unidade está fazendo as adaptações conforme suas características, espaço físico. A realidade de uma escola da Praia do Canto, por exemplo, é diferente de uma que fica no interior do estado”, frisou.

As atividades presenciais das escolas e instituições de ensino superior estão suspensas no estado desde o dia 17 de março, como medida para tentar conter a disseminação do novo coronavírus.

 

Mais Notícias

Deixe um comentário