Com o tema; “Causar Incêndio é Crime”, entidades fazem ação de conscientização no centro de Colatina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Foi lançado na tarde desta terça-feira (15), na Praça Municipal, em Colatina, pela força tarefa da Região Noroeste, uma ação de conscientização da população por parte do Corpo de Bombeiros, do Instituto de Desenvolvimento Florestal (Idaf) e Promotoria do Meio Ambiente do município contra os incêndios e queimadas que ocorrem atualmente em Colatina e região.

Durante à tarde, carros e motocicletas eram parados pelos representantes da força tarefa e abordaram os condutores pedindo ajuda para não praticarem queimadas e denunciarem quem as pratica. De acordo com a Dr.ª Bruna, promotora do meio ambiente e coordenadora da força tarefa, “a grande dificuldade hoje é pegar o criminoso”. Segundo ela a maioria dos incêndios é praticado por vândalos, e que já atingiu na região Noroeste Capixaba mais de 3.400 hectares de queimadas de matas e pastagens e que esse tipo de crime só pode ser combatido com o apoio da população.

O Capitão Douglas, do Corpo de Bombeiros, disse que: “esse é um período crítico quanto a queimadas; que de agosto para a primeira semana de setembro se deram metade das ocorrências do ano”. Segundo ele são muitas as ocorrências. O que dificulta o trabalho dos Bombeiros de Colatina é ter que atender uma área que vai de Mantenópolis a Itarana.

O Capitão Rodrigo da Polícia Ambiental disse que no ano passado em caso de incêndio os Bombeiros agiram sozinhos. No ano passado houve uma inovação, foi criada a Força Tarefa e hoje os dois órgãos atuam juntos nas queimadas. “O objetivo é de tentar identificar o autor do incêndio e levar o mesmo até a Delegacia de Polícia para ser responsabilizado e punido”. Afirma.

A promotora do meio ambiente, Bruna, disse que o projeto da Força Tarefa nasceu em 2019 em razão de uma provocação do Corpo de Bombeiros por conta de muitos incêndios ocorridos em 2018.

O Ministério Público, segundo a promotora, viu que o IDAF e a Polícia Ambiental não tinham os mesmos índices que os Bombeiros. Disso se pensou em criar um fluxograma entre os órgãos para que todos eles pudessem apurar qualquer tipo de ocorrência de queimada nascendo então a atual Força Tarefa. Em conjunto sempre que surge uma denúncia de incêndio os órgãos vão juntos ao local do fato.

A promotora relatou que em Colatina a grande maioria são queimadas em pastagens, em zonas próximas as habitações, o que poderá ocasionar uma pena mais grave, podendo chegar a 6 anos de reclusão.

Mais Notícias

Deixe um comentário