Suplentes vão à justiça e pedem anulação dos votos de todos os candidatos do partido Patriota, em Colatina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Nesta semana ocorreu um fato que chamou a atenção do mundo político em Colatina, onde três candidatos a vereador que concorreram no último pleito, sendo que dois exercendo o mandato, entraram na justiça com uma ação de investigação judicial eleitoral contra o partido Patriota, que na eleição do dia 15 de novembro elegeu dois vereadores. 

O Presidente da Câmara Municipal de Colatina Eliezio Bolzani, o vereador Juarez do Hotel e o candidato Geziano Lúcio Souza Ferreira “Ferreirinha”, alegam que ocorreu fraude na cota de gênero por parte do partido já citado.

Os candidatos alegam que o Partido PATRIOTA apenas manteve 06 mulheres dos 21 registros requeridos, não observando, portanto, a reserva mínima de 30% de registros femininos obrigatórios, e assim apresentado ao momento do pedido de registro de candidatura.  

“Deste modo, resta flagrante a inobservância à cota de gênero em testilha. Segundo, o registro de Maria das Graças Flores fora realizado mesmo ante o seu nítido desinteresse em disputar o Pleito pelo Patriota, somente com fito de fraudar a cota de gênero obrigatória no lançamento de candidaturas femininas”. Revela a ação de investigação judicial.

O QUE OS REQUERENTES ALEGAM 

– A candidata, Maria das Graças Flores, trabalha juntamente com o candidato concorrente Wagner Neumeg na empresa CFC Pancas LTDA, de propriedade de Olimar Geraldo (Doc. 08):

– Devendo ser destacado, na integridade do Direito disposta no art. 927 do CPC, que os indícios aqui presentes (votação zerada; movimentação financeira zerada; campanha para outrem; laços de ligação com concorrente e direção partidária) são suficientes a procedência da AIJE:

– Requer-se a procedência da presente Ação com o reconhecimento da inobservância e fraude à cota de gênero, para que haja a anulação dos votos de todos os candidatos do Patriota, cassação do diploma dos Réus Wagner Neumeg, Marcelo Carvalho Pretti, Marcelo Rodrigues, e inelegibilidade de Maria das Graças Flores, Elizangela Romanha Ramos e Olimar Geraldo Dadalto.

O POSSÍVEL TRÂMITE 

É provável que o juiz intime o Ministério Público para oferecer seu parecer e também intime os representados para oferecerem defesa. Em seguida, podem haver pedidos de diligências (provas). E por fim, vai ser dada a sentença.  

Mais Notícias

Deixe um comentário