Covid-19: Colatina registra mais mortes. No Estado, contaminados morrem a caminho de hospital

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O boletim Covid-19, que é publicado diariamente pela Secretaria Municipal de Saúde, contabiliza 256 óbitos até esta quinta-feira (1º). Foram registrados 110 novos casos da doença contra 4 pacientes curados. Nesta quarta-feira(31), foram contabilizadas 2 mortes.

O total de casos confirmados da Covid-19 até a presente data é de 16.940 pessoas que foram contaminadas desde o início da pandemia. Destes encontram-se clinicamente curados 15.649.  Ao todo, 973 pessoas estão em isolamento domiciliar.

Na rede hospitalar tanto nos hospitais públicos como nos privados estão internadas 62 colatinenses.

MORTE A CAMINHOS DO HOSPITAL

Mesmo com a taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 acima dos 90% há alguns dias no Espírito Santo, nenhum paciente morreu por falta de atendimento médico. A afirmação é do secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, em entrevista.

Entretanto, o secretário relatou que alguns pacientes estão morrendo a caminho do hospital por conta da demora em buscar atendimento médico. “Temos relatos de pessoas que estão morrendo dentro da ambulância, porque o quadro de saúde vai se agravando em casa. A pessoa não busca atendimento médico e faz o uso de remédios que não têm eficácia”.

Na entrevista, Nésio também destacou que na próxima sexta-feira (02) o governo vai divulgar um novo mapa de risco. Dessa forma, cada município terá sua própria classificação para o risco de transmissão da doença, podendo ser baixo, moderado, alto e extremo. Atualmente, todo o Estado está classificado no nível máximo de risco.

“Alguns municípios podem ser caracterizados como risco extremo ao passar de 90% de ocupação. Voltaremos a adotar a matriz de risco, que definirá as regras por município. Cada cidade vai ter a atualização na sexta-feira (02) e alguns vão sair do risco extremo. Possivelmente, trataremos a Grande Vitória como uma única região, publicando todas as normas que vão vigorar a partir de segunda-feira”.

O secretário explicou ainda que, mesmo com todo o Estado considerado em risco extremo, simulações de risco são realizadas para avaliar o desempenho de cada cidade, com base nos leitos disponíveis e capacidade de testagem, por exemplo. Na simulação mais recente, que pode servir de base para o próximo mapa, a Grande Vitória aparece como risco extremo.

O novo mapa de risco deve ser divulgado na sexta-feira (02) e entrará em vigor a partir da próxima semana. Segundo o secretário, as regras e medidas ainda estão em avaliação e devem ser divulgadas juntamente com a matriz de risco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular