Ex-gerente do Banestes de São Silvano morre vítima da Covid-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O ex-gerente do Banco Banestes de São Silvano, Edvaldo Azevedo Costa de 78 anos, foi vítima da Covid-19. Edvaldo, mesmo morando em Vitória já a alguns anos, nunca perdeu o contato com a sua cidade natal, onde nutria grandes amizades e continuava sendo o lar de muitos familiares. 

Edvaldo começou a trabalhar no final de sua adolescência, no principal escritório de contabilidade na época em Colatina, de propriedade do senhor Geraldo Lavagnolli, como office boy, com o passar dos anos conquistou novos cargos até ocupar a gerência do Banco Banestes, onde permaneceu por 20 anos e devido a sua qualificação alcançou o cargo de diretor da instituição financeira.

Mas, Edvaldo Azevedo Costa, não ficou conhecido nacionalmente por causa da sua competência e capacidade profissional, e sim por uma outra paixão, a sinuca. “Ele ficou conhecido em todo o Brasil, como um dos melhores jogadores de sinuca do país”. Conta orgulhoso o sobrinho Joãozinho Meneguelli.

Antes de ser internado com a Covid-19, Edvaldo vivenciou momentos difíceis pois sua esposa permaneceu internada por aproximadamente 30 dias em um hospital da capital, ocasionado pela Covid-19. “Ele ia todos os dias ao hospital para saber de sua esposa”. Afirma sua Irmã Maria Laura.

Mas ao contrário de sua esposa, Edvaldo não teve a mesma sorte e depois de ser contaminado pelo vírus, foi internado e em poucos dias veio a óbito devido às complicações provocadas pela doença. 

Uma vida de trabalho e dedicação a esposa, filha, e aos 11 irmãos, que sempre fez questão de estar presente na vida de cada um. 

O colatinense, que vinha todos os fins de semana visitar sua mãe, será lembrado pelo respeito que tratava as pessoas, pela competência em sua vida profissional e pelo amor que tinha por sua família. 

2 respostas

  1. Conheci muito o Edvaldo. Trabalhei com o irmão dele, o Carlos, que é meu compadre. Mais tarde também fui Gerente. Deixo aqui um abraço pra ele e a comadre Altair. E meus sentimentos pela perda do irmão. Que o bom Deus o receba em Sua glória.

    ..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular