Aglomeração e perturbação do sossego em bar vira caso de polícia em Colatina

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Dezenas de pessoas causaram na noite de sábado (15) uma série de infrações em um bar no bairro Castelo Branco, nas proximidades de um cerimonial. A perturbação foi tanta que os moradores da região entraram em contato várias vezes com a polícia para denunciar o que estava acontecendo.

A Polícia Militar, após as 21 horas, começou a receber diversas denúncias de moradores como perturbação do sossego, porta de residências sendo usadas como banheiro, som alto, embriaguez ao volante e, em plena pandemia, uma enorme aglomeração.

A PM agiu para normalizar a situação e tomou diversas providências. Mais de 30 multas por estacionamento irregular, 9 condutores autuados por embriaguez, três multas por som automotivo, uma pessoa conduzida à delegacia por posse de droga. Além das ações cabíveis, também foram acionadas a fiscalização do Corpo de Bombeiros e da Prefeitura de Colatina para a aplicação de multas.

“Eu passei em frente por volta das 20 horas, a baderna já estava grande, disse pras minhas filhas que estavam no carro comigo ‘quanta falta de educação, será que em suas casas ou bairros fazem a mesma baderna?’ Imagine a quantidade de vírus que estão levando pra dentro de casa com essa aglomeração”, revela um morador que não quis se identificar.

Em sua página nas redes sociais, o Capitão da Polícia Militar Carlos Balbino comentou o fato. “Muito além da situação crítica da pandemia, existe o respeito aos moradores do bairro. Na segunda, tudo será remetido ao Ministério Público, Corpo de Bombeiros e demais órgãos para fiscalização conjunta”, afirma.

“Atitudes como essa demonstram que temos que percorrer ainda uma longa estrada para a gente dizer que somos civilizados. É por essa e outras que as proibições ainda são necessárias, infelizmente não podemos contar com a consciência de todos e, o que é pior, pagamos pelos erros deles”, Revela uma professora moradora da comunidade.

3 respostas

  1. Exemplarmente significativas e dignas de auspiciosos elogios e um grande divisor de águas em direção à sensatez e reflexões, as palavras do capitão Balbino e da professora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular