Estudante de Colatina que passou em 9 universidades faz vaquinha para estudar fora do país

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O jovem Gabriel Brandão Scarpati, 20 anos, sempre teve metas bem definidas. Batalhou muito para ser aprovado nas universidades e chegou lá. Agora Gabriel colhe os frutos de horas de estudos: aprovação em 8 universidades nos Estados Unidos e uma no Canadá.

Estudante de escolas públicas e do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), em Colatina. Gabriel sempre soube que queria ser engenheiro.

E para realizar esse sonho, organizou uma vaquinha eletrônica (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/me-ajude-a-realizar-um-sonho-gabriel-brandao-scarpati) para arrecadar o valor exigido pela Universidade da Florida, nos EUA, para o primeiro ano do curso. As doações também podem ser feitas pelo Picpay e por Pix. Os dados estão no instagram de Gabriel (https://www.instagram.com/p/COV3ViHh3cE/). 

São R$ 135 mil para tirar o visto, fazer a matrícula e comprovar para a universidade que ele tem como arcar com o primeiro ano de Engenharia Mecânica, o material didático, a moradia, alimentação e seguro de saúde.

O jovem já conseguiu R$ 35 mil, por isso a vaquinha é de R$ 110 mil. O visto está marcado para julho, então eu preciso do dinheiro até junho. Se alguém me emprestar eu devolvo, porque pretendo trabalhar quando chegar nos Estados Unidos. Disse Gabriel.

“Sempre tive vontade de fazer faculdade fora do Brasil, mas a gente acha que é impossível. Até que vi um brasileiro de São Paulo que havia conseguido. Ele dá uma mentoria do que estudar e como fazer as provas e eu participei”, relatou Gabriel, que começou se preparar no início de 2020 e conseguiu a primeira aprovação em novembro.

FAMÍLIA

Com o apoio dos pais, Jaqueline Brandão, 46 anos, e Paulo Scarpat, 47, e de vizinhos e amigos, Gabriel arrecadou R$ 16 mil na vaquinha on-line.

Para a mãe, sempre valeu a pena investir no sonho do jovem. “O Gabriel tem uma visão de coletivo porque ele quer se tornar um engenheiro para criar coisas que ajudem a humanidade. Não quer o conhecimento só para ele. Ele quer fazer a diferença no mundo”. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular