Lojas e restaurantes abrem as portas e apostam nas vendas no feriado municipal em Colatina

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Neste feriado de sexta-feira (11), Sagrado Coração de Jesus, padroeiro da cidade, em torno de 60% do comércio do centro da cidade de Colatina abriu suas portas, mesmo sendo feriado municipal, tendo como objetivo atender os fregueses que gostariam de aproveitar o feriado para fazer as compras, principalmente do dia dos namorados que será comemorado neste sábado (12).

Na manhã desta sexta, foi observado nas principais ruas do centro poucas pessoas circulando. “Nós abrimos hoje acreditando que ocorreria uma corrida às compras do dia dos namorados, mas até agora, a gente não sente o retorno esperado”, revela a gerente de um estacionamento rotativo no centro de Colatina, que é um termômetro para saber se tem ou não muitas pessoas fazendo compras.

Achando positiva a abertura do comércio, o proprietário de uma loja de colchões disse que “está valendo a pena. Já fizemos vendas e as pessoas agendaram dizendo que iriam aproveitar o feriado municipal para vir à loja, já que durante a semana estão trabalhando”, revela o proprietário da loja Giacomin Colchões, Zequinha Giacomin.

O feriado na sexta-feira também proporciona a opção do colatinense viajar e aproveitar o fim de semana prolongado. “Pouca gente nas ruas, mas a vantagem é que quem veio está comprando, mas a gente sabe que amanhã, sábado, vai ter muita gente fazendo compras, então funcionar hoje está sendo um reforço válido”, diz a gerente de uma loja de doces. 

Segundo o presidente do Sindilojistas de Colatina, o CDL, fez um levantamento, durante a semana e mais de 150 lojas no centro da cidade e em torno de 30 lojas abrirão em São Silvano, avalia Junior Menegatti.


“Em outros tempos talvez nem abriríamos, por ser um feriado religioso, mas devido à situação que o comércio se encontra, devido ao problema da pandemia, não podemos perder nenhuma oportunidade”, revela Géssica Santos, funcionária de uma rede de lojas de Colatina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular