Há mais de 10 anos trecho da BR-259 entre Colatina e João Neiva continua interditado

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Mais de uma década depois e a situação continua a mesma. Um trecho no km 28 da BR-259, entre Colatina e João Neiva, permanece interditado há mais de 10 anos. O problema se arrasta desde que pedras e terra desmoronaram e bloquearam a pista. 

Na época, o Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit) gastou mais de R$ 7 milhões para construir o trecho, que tem cerca de 800 metros. Atualmente, as pedras e o barranco não param de cair. O último deslizamento foi no mês passado e toda a terra foi parar no asfalto. 

No local, foi realizada uma obra para acabar com uma curva perigosa, mas depois de tudo pronto, surgiu um outro risco: os desmoronamentos. 

Em 2018, o Dnit prometeu fazer outra obra: a contenção do barranco para liberar a pista. A previsão era gastar cerca de R$ 20 milhões para acabar com os deslizamentos, mas até hoje nada foi feito. Enquanto isso, os carros continuam passando por um desvio ao lado. “É um absurdo tudo estar exatamente igual desde quando o barranco caiu”, analisou um motorista. 

Procurado, o Dnit informou que aguarda por liberação de verba federal para que a obra possa ser finalizada.

5 respostas

  1. Esse “Desvio”, na BR 259, na altura de São Grabrielzinho de Baunilha, ainda que dito existir a mais de uma década, na verdade por mais de duas décadas, jamais deveria ter sido feito naquele local, mas continuar pela antiga estrada, que é mais perto, e menos problemas que o local citado. De toda forma é “fácil de ser resolvido”. É só removerem a MONTANHA existente, pois vai continuar desmoronando, haja vista ser composta de terra arenosa e de pouca resistência a chuvas, além de muito íngreme, e a parte baixa, da grande várzea da ex fazenda DOS BATISTAS. É uma grande extensão de muita água e de fraca compactação, facilitando a aerosão contínua. Quando do início da sua construção, grande quantidade de pedras foi jogada, para conter, porém não deu o resultado esperado e continua até os dias de hoje, servindo de hemorragia para os cofres públicos, mas compensando “O BOM TRABALHO DOS IDEALIZADORES” e mais que autorizam a proeza. A Engenharia furou feio com a obra, mas é possível que muitos continuam compensados. Merece uma profunda auditoria e não mais esvaziarem os cofres públicos. Voltem para a origem, ou façam um viaduto, ficará mais em conta, eternamente. Fui…

  2. Excelente comentário, dr Heuler Pretti. Exatamente isso.
    Parabéns. Um abraço do Robson Vasconcellos de Oliveira.

  3. Isso aí é uma pouca vergonha, todos envolvidos nesta obra deveriam estar presos, tamanha falta de capacidade em gerir , é burrice mesmo!!

  4. Na verdade é um desviou de dinheiro público, roubalheira, começam, para e somem. O dinheiro desaparece nas e chutadas do barranco, mas logo a frente temos pedágio para alegria de todo.VIVA O BRASIL DOS BANDIDOS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular