Vereador de Linhares acusado de encomendar morte de ativista continua preso no CDP de Colatina

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A Justiça negou o pedido de liberdade feito pela defesa do vereador linharense Waldeir de Freitas. O parlamentar está preso desde o final do mês de julho no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Colatina, acusado de encomendar a morte do ativista Jonas Soprani, assassinado a tiros no dia 23 de junho dentro de um bar, no bairro Novo Horizonte, em Linhares. 

O vereador teve o mandado de prisão expedido pela Justiça quando participava de um curso em Belo Horizonte. Segundo as investigações, ele mandou matar Jonas Soprani por causa de denúncias que o ativista fazia contra ele e outros políticos da região. 

Na manhã desta quinta-feira (12), policiais civis prenderam durante uma operação mais um suspeito de participar do crime. Josenílton Alves dos Santos, de 48 anos, assessor parlamentar de Waldeir, estava com mandado de prisão temporária em aberto por envolvimento na execução do ativista. Foi interrogado e logo depois encaminhado para a Penitenciária Regional de Linhares. Segundo a polícia, Josenílton já havia sido preso em 2017 pela prática de homicídio qualificado. Ele ficou detido por 2 anos e quatro meses e recebeu alvará em 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular