Carteira de Identidade emitida mais rápida em Colatina e mais 9 municípios do ES

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O Estado terá novos 10 postos para emissão de Carteira de Identidade. Os pontos de atendimento vão funcionar em Colatina, Linhares, Aracruz, São Mateus, Guarapari, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Serra, Vila Velha e Vitória. A nova tecnologia vai atuar na emissão de Carteiras de Identidade. Com isso, o Estado terá um banco de dados com maior número de informações sobre as características da população. 

Toda a base de dados será digitalizada para permitir a comparação das digitais colhidas nas investigações criminais. O sistema será parecido com o que hoje é adotado nas emissões da Carteira Nacional de Habilitação e de passaportes. O sistema ABIS, sigla em inglês para Sistema Automatizado de Identificação Biométrica, também contemplará a identificação automática de fragmentos de impressões, além da captura de imagens biométricas de quem solicitar a Carteira de Identidade. Os dados serão coletados e, posteriormente, inseridos no banco de dados do Estado, auxiliando os órgãos de segurança e o sistema judiciário na identificação dos indivíduos. 

O superintendente de Polícia Técnico Científica da Polícia Civil, Renato Kosky Júnior, detalhou as novidades. “Hoje o nosso sistema é manual. Com a adoção da nova ferramenta, poderemos facilitar o processo de expedição do documento, de forma mais segura, mais rápida e com menos gastos”, explica. 

A tecnologia é largamente utilizada no mundo para trazer segurança e agilidade nos processos de identificação humana. “No social, o sistema permitirá uma maior agilidade no processo de expedição de carteira de identidade, que passará de um processo manual para um processo automatizado e todo digital. No econômico, vamos acabar com as fraudes na expedição de documentos de identidade, dando segurança aos negócios quanto a verdadeira identidade das pessoas envolvidas. Na dimensão humanitária, o sistema permitirá, de forma ágil e segura, estabelecer a identidade de corpos encontrados em adiantado estado de decomposição. E na dimensão criminal, contribuirá para a produção de provas, proporcionando a identificação de pessoas que estiveram em locais de crime a partir do levantamento de fragmentos de impressões digitais”, diz o superintendente. 

A nova tecnologia foi adquirida pelo governo estadual no último dia 31 de agosto.

ESFALA: foto ilustrativa / crédito Portal Tempo Novo / redes sociais. 

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular