Museu em Santa Tereza completa 70 anos. Símbolo de Pesquisa e Educação

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

As comemorações acontecem no dia 26, no parque do Museu, com uma mostra de arte naif reunindo 43 artistas de origem nacional e internacional, além de pinturas da escritora teresense Virginia Tamanini. Ciência, conservação, arte, cores, história e memória são os elementos dos festejos.

Concebido pelo Patrono da Ecologia do Brasil, Augusto Ruschi, o Museu de Biologia Prof. Mello Leitão – hoje, uma unidade de pesquisa e educação do Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA) – foi inaugurado em 1949 e comemora seu setentenário com investimentos em ciência e atividades educativas.

A comemoração, no dia 26 de junho, terá como tema “Museu Mello Leitão: 70 anos trabalhando ‘ComCiência’” e será realizada dentro da programação da Festa do Imigrante, já que Santa Teresa fará 145 anos de colonização italiana nesse mesmo dia.

No Auditório Augusto Ruschi, localizado no parque do Museu Mello Leitão, às 17 horas, será lançada a “4ª Mostra Internacional de Arte Naif – Universo da Alma Ingênua” & “A Pintura Primitiva de Virgínia Tamanini”.

A Mostra conta com 43 nomes da arte naif de diversos países e 78 obras de diferentes tamanhos e formatos, inclusive tridimensionais, nas quais os artistas expressam em suas telas cenas do cotidiano, paisagens naturais e urbanas.

“Haverá homenagens à Mata Atlântica e à cidade que acolheu o projeto de Augusto Ruschi sete décadas atrás. Vamos entregar à sociedade capixaba os resultados das pesquisas do último ano e meio, realizadas no INMA, para um maior conhecimento e conservação da Mata Atlântica. Teremos ainda outros momentos de destaque: além do lançamento da exposição de arte naif, tem a apresentação da lista de flora e fauna ameaçadas de extinção no Espírito Santo e do projeto do mural comemorativo aos 70 anos. Vai ser um evento bem bonito para o Museu e para a cidade de Santa Teresa”, explicou a Coordenadora de Eventos do INMA, Alyne dos Santos Gonçalves.

A mostra é uma realização da Prefeitura Municipal de Santa Teresa em parceria com o INMA, a ALEAST (Academia de Letras e Artes de Santa Teresa) e o Ateliê Ângela Gomes de Art Naif e tem produção de Rogério Dalmonech.

As comemorações acontecem no dia 26, no parque do Museu, com uma mostra de arte naif reunindo 43 artistas de origem nacional e internacional, além de pinturas da escritora teresense Virginia Tamanini. Ciência, conservação, arte, cores, história e memória são os elementos dos festejos.

Concebido pelo Patrono da Ecologia do Brasil, Augusto Ruschi, o Museu de Biologia Prof. Mello Leitão – hoje, uma unidade de pesquisa e educação do Instituto Nacional da Mata Atlântica (INMA) – foi inaugurado em 1949 e comemora seu setentenário com investimentos em ciência e atividades educativas.

A comemoração, no dia 26 de junho, terá como tema “Museu Mello Leitão: 70 anos trabalhando ‘ComCiência’” e será realizada dentro da programação da Festa do Imigrante, já que Santa Teresa fará 145 anos de colonização italiana nesse mesmo dia.

No Auditório Augusto Ruschi, localizado no parque do Museu Mello Leitão, às 17 horas, será lançada a “4ª Mostra Internacional de Arte Naif – Universo da Alma Ingênua” & “A Pintura Primitiva de Virgínia Tamanini”.

A Mostra conta com 43 nomes da arte naif de diversos países e 78 obras de diferentes tamanhos e formatos, inclusive tridimensionais, nas quais os artistas expressam em suas telas cenas do cotidiano, paisagens naturais e urbanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular