Caminhão carregado de estofados pega fogo no centro de Colatina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Momentos de muita tensão na tarde desta sexta-feira (20), quando um caminhão pegou fogo e foi obrigado a parar em uma das vias mais movimentadas de Colatina, na rua Alexandre Calmon, nas proximidades das empresas Amigão Embalagens e Giacomim Colchões.

O fogo tomou conta da carga rapidamente e se não fossem alguns comerciantes que se propuseram a apagar o incêndio, poderia ter ocorrido uma catástrofe na região.

Um caminhão da Empresa Suprema Móveis, de Ubá, Minas Gerais, teve sua carga de sofás retráteis, totalmente queimada no centro de Colatina. A causa do incêndio ainda é desconhecida, o que há são especulações. Segundo um agente de trânsito que estava organizando a retirada do caminhão, o motorista relatou que havia sentido algo de errado com o caminhão desde o momento que ele estava trafegando em cima da Ponte Florentino Avidos.

Nas proximidades da Empresa Amigão Embalagens as chamas aumentaram e o motorista teve que abandonar o caminhão. As chamas alcançaram entorno de 10 metros de altura e deixou todos apreensivos, ao ponto dos próprios proprietários de lojas e funcionários do comércio, tentarem apagar as chamas por conta própria, porque o alastramento do fogo poderia ocorrer rapidamente.

Inicialmente comerciantes e funcionários pegaram os extintores das lojas e tentaram apagar o fogo, mas em vão, pois as labaredas estavam intensas, e nesse momento houve o impedimento por parte das autoridades policiais, para que os populares não mantivessem a ação de tentar apagar o fogo, porque o perigo era eminente.

Em uma das lojas da Rua Alexandre Calmon, tem um hidrante, assim um dos proprietários teve a iniciativa de levar a mangueira o mais próximo possível do caminhão e com muito esforço, conseguiu controlar o fogo. O Corpo de Bombeiros chegou e terminou de apagar as chamas.

A ação durou cerca de 30 minutos e segundo populares que estavam presentes, a atitude do comerciante de utilizar o hidrante de sua loja foi fundamental para evitar um prejuízo incalculável caso o fogo se alastrasse para o comércio e moradias ao redor. A rua dos ônibus como é conhecida a via que ocorreu o acidente, ficou interditada até às 18 horas, após esse horário o trânsito voltou a fluir normalmente.

Por problemas técnicos optamos por uma foto ilustrativa

Mais Notícias

Deixe um comentário