Colatinense contaminada com o novo coronavírus fala sobre a doença e recuperação

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

A Colatinense Emar Batalha, que atualmente mora em São Paulo, ainda sente cansaço ao falar. Mesmo depois de 15 dias de total isolamento, devido ao coronavírus. Ela foi uma das primeiras pessoas a testarem positivo para o Covid-19 no país, após participar de um casamento na Bahia.

Durante este período dentro de casa, ela aproveitou o tempo para ficar com a filha. Foi através da sua rede social que ela revelou que estava com o vírus. “Também estou tentando ajudar as pessoas que estão precisando. As mães estão desesperadas. Recebo centenas de mensagens perguntando o que fazer com o filho dentro da residência”. Revela a Designer de Jóias.

Emar relata que ao voltar para São Paulo no domingo (8) foi jantar em um restaurante com o seu marido. Na segunda-feira (9) foi trabalhar normalmente. Na terça-feira (10) durante o expediente, sentiu muita falta de ar e foi para casa. Para ela foi uma surpresa estar positiva para Covid-19. Até por que no período ainda não era muito comentado. “Somente se falava em febre e eu só tinha falta de ar” diz Batalha.

Na quarta-feira (11) percebeu uma leve coriza, mas continuou com as atividades, indo ao dentista e depois em um aniversário. Quando Emar se sentou, uma amiga perguntou se ela estava sabendo que todo mundo que esteve no casamento estava no hospital fazendo teste para o Covid-19. No momento ela ainda disse para amiga que não estava com febre, foi onde a interlocutora disse que febre não era requisito para o vírus.

Após a conversa com a amiga ela percebeu que tinha grandes chances de ter se infectado. Não correu para o hospital e optou por ficar em casa isolada, juntamente com marido e a filha. “Nos primeiros três dias da doença fiquei muito bem, trabalhando em casa. No quarto dia comecei a sentir mais, ficava revesando entre cama e sofá da sala. Do sétimo para o oitavo dia foi quando tive a piora. Foi muita dor no corpo, cansaço e falta de ar. No nono dia eu melhorei de novo, só que o meu marido não melhorou”.

Segundo a colatinense o marido estava ótimo e de repente começou a ter dificuldade para respirar e muita tosse. Um quadro alarmante, uma mudança drástica e ele continuou internado. “Fizeram uma tomografia e 50% do pulmão estava tomado pelo coronavírus”. Revela Emar Batalha.

A colatinense que já foi proprietário de uma joalheria na Avenida Getúlio Vargas no centro de Colatina, juntamente com seu esposo estão se recuperando gradativamente.

ES-FALA/Informação Gazeta.

Mais Notícias

Deixe um comentário