Colatina não ocupa mais o último lugar em isolamento social no Estado

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

A cidade de Colatina após amargar por quatro dias o pior índice de isolamento social no Espírito Santo, saiu do último lugar e está atrás de Bom Jesus do Norte e Cachoeiro de Itapemirim. A Prefeitura de Colatina mudou o horário do comércio, mas a quantidade de pessoas que aderiram o isolamento ainda é baixa.

Mas mesmo com os baixos índices de Colatina, quem amarga o último lugar é o município de Bom Jesus do Norte que registrou, na quinta-feira (21), a pior taxa de isolamento de um município capixaba desde o dia 13 de abril, quando o Governo do Estado, em parceria com as operadoras de telefonia móvel, começou a monitorar a adesão dos capixabas à quarentena.

Segundo os dados mais recentes do painel de Isolamento Social, do Governo do Estado, o município do extremo sul capixaba registrou um índice de apenas 36,99% de isolamento social. O número está bem abaixo do considerado ideal pelas autoridades de saúde, de 70%, e até do mínimo recomendado, de 55%.

Por outro lado, Águia Branca melhorou ainda mais o índice de isolamento e fechou a quinta-feira com 70,56%, pouco mais até do que o recomendado pelas autoridades de saúde. Pancas e Mantenópolis também ficaram bem próximos à marca dos 70% de isolamento: 69,15% e 68,22%. 

Isolamento no Estado

Em todo o Espírito Santo, a média segue abaixo do mínimo recomendado pelas autoridades de saúde. Na quinta-feira, houve uma ligeira melhora em relação a quarta, mas ainda longe do ideal: passou de 47,33% para 47,63%.

O isolamento social foi um dos pontos mais abordados pelo secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, durante uma coletiva de imprensa, na manhã desta sexta-feira (22).

“Nosso isolamento social é insuficiente para vencer a pandemia. Conclamo que a sociedade se envolva, de maneira mais disciplinada nos próximos dias. Não queremos perder mais capixabas. Nós alertamos que, nesta quinzena, o interior passaria por um aumento nos óbitos, e está acontecendo. Estamos alertando que se o conjunto da sociedade não aumentar o isolamento social, em junho podemos ter que tomar medidas extremas no estado do Espírito Santo”, disse.

Essas medidas extremas citadas pelo secretário podem envolver o bloqueio de ruas, fechamento pleno do comércio e paralisação de parte da indústria e do transporte coletivo. Segundo Nésio Fernandes, o chamado lockdown pode durar até 21 dias no estado.  

Mais Notícias

Deixe um comentário