Veja o que alguns pré-candidatos a Prefeito de Colatina disseram sobre o adiamento das eleições. Conheça o novo calendário

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

O novo calendário para as eleições de 2020, promulgado nesta quinta-feira (2) pelo Congresso Nacional, mudou não só o dia da votação, como também outros prazos importantes para o pleito. O adiamento de 42 dias da data em que os eleitores devem ir às urnas impacta em um prazo maior para partidos se articularem para definir seus candidatos e dá mais tempo para candidatos se afastarem de suas atividades.

Mas o que alguns pré-candidatos a prefeito de Colatina acharam deste adiamento:

O prefeito Sérgio Meneguelli, que não definiu se disputará a reeleição, disse que para ele é indiferente. “Para mim tanto faz a data, não estou pensando nas eleições”. Afirma. Meneguelli em vários diálogos nos últimos dias repetidamente está afirmando que não disputará as eleições de 2020.

O pré-candidato Renan Bragatto, disse que o Congresso Nacional tomou uma decisão baseado na ciência, onde foi indicado que o melhor caminho seria o adiamento entorno de 45 dias. Renan disse ainda que isso não modifica o seu trabalho e continuará fortalecendo as bases dos pré-candidatos a vereadores. “Esse adiamento é importante para os partidos políticos e pré-candidatos, para que possam se organizar melhor, diante deste novo cenário da política de 2020. Pois a tendência é ocorrer uma política totalmente atípica dos outros anos, sem tantos contatos físicos”. Renan diz que todos ganham com a decisão.

Outro pré-candidato a prefeito de Colatina, Luciano Merlo disse: “Acho prudente o adiamento das eleições municipais, como medida para reduzir o risco de contágio da covid-19”. 

Já o pré-candidato Sebastião Demuner não demonstrou satisfação com o adiamento do pleito eleitoral. “Tudo errado. A vida continua, deveria ser dia 3 de outubro”. Finaliza.

A candidata do Partido Liberal (PL), Renata Nunes, também opinou dizendo que: “vejo que essa foi a melhor solução que concilia os cuidados com a pandemia e a manutenção das eleições. Somos contra qualquer prorrogação de mandato e achamos que a eleição deve acontecer neste ano”. A firma Renata.

Para a candidata, o adiamento, ajudará a atenuar os efeitos da crise sanitária e dará tempo para o cumprimento de prazos após o pleito, como a prestação de contas após a campanha, a diplomação dos eleitos e a transição no  município. “Como pré candidata preciso sempre querer e pensar no que é melhor para o povo”. Finaliza.

O pré-candidato Genivaldo Lievori disse que: “O Partidos dos Trabalhadores (PT) de Colatina, decidiu em reunião virtual, no dia 1º de julho, que eu serei o pré-candidato a prefeito pelo PT, nas eleições 2020 em Colatina. Nós já comunicamos a Direção Nacional do PT, e estamos nos preparando para as eleições, com a mobilização de nossos candidatos a vereadores e vereadoras. Também definimos em reunião que vamos dialogar com os partidos políticos do campo democrático popular, principalmente com o PSB. Para que juntos possamos construir um projeto para cidade de Colatina”. Afirma Genivaldo.

O pré-candidato do PT, disse que achou muito importante o adiamento das eleições, já que ainda não há vacinas para o coronavírus. Ele disse ainda que é preciso proteger a população.   

Outros candidatos também foram questionados, mas não enviaram resposta para a redação do Portal de Notícias ES-fala.

Mas uma coisa é certa, a corrida intensa nos partidos, com as disputas entre quem serão os candidatos de cada sigla, também ganhou um fôlego. O prazo das convenções partidárias, onde são definidas as candidaturas em cada chapa, era entre 20 de julho a 5 de agosto, mas agora serão entre 31 de agosto e 16 de setembro.

Mas as datas ainda poderão ser alteradas, os deputados incluíram na emenda em que adia a eleição, a possibilidade de aumentar esse período nas cidades que ainda houver muitos casos de Covid-19. Se for avaliado por autoridades sanitárias que um determinado município não possui condições seguras para a realização do pleito, o TSE, com o aval do Congresso Nacional, pode adiar a votação, tendo como data limite, 27 de dezembro.

Vejas as novas datas na mudança do calendário eleitoral:

1 – Afastamento de apresentadores e comentaristas de rádio e TV: 11 de agosto;

2 – Desincompatibilização de servidores: 15 de agosto;

3 – Participação de candidatos em inauguração de obra: 15 de agosto;

4 – Convenções partidárias: 31 de agosto a 16 de setembro;

5 – Registro de candidatura: 26 de setembro;

6 – Propaganda eleitoral: 26 de setembro;

7 – Horário eleitoral gratuito: 27 de setembro a 12 de novembro;

8 – Relatório de transferência do fundo partidário: 27 de outubro;

9 – Eleição: 15 de novembro; 

10 – Prestação de contas: 15 de dezembro. 

ES-FALA/Informação Congresso Nacional/A Gazeta.

Mais Notícias

2 respostas

  1. Melhor prefeiro do Brasil, Sérgio Meneguelli. Pena não ser gaúcho, homem de fibra que nem Serginho, mudaria nosso RS. Parabéns aos Colatinenses que elegeram um grande homem público. Parabéns @sergiomeneguelli

Deixe um comentário