Academias seguem com restrições de alunos em Colatina, Baixo Guandu e Marilândia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Durante o anúncio da nova Matriz de Risco, com atualização das diretrizes para classificar o grau de perigo do contágio do novo coronavírus em cada município, o Governo do Estado informou uma mudança na flexibilização das academias. Em cidades que o risco esteja moderado,, não há mais a limitação de cinco alunos de forma simultânea. No entanto, nas cidades com risco alto, as regras de restrição permanecem.

Sendo assim, de acordo com o novo mapa de risco divulgado neste sábado (11), Colatina, Baixo Guandu e Marilândia, por decreto estadual, continuam com o funcionamento permitido dentro das regras informadas no dia 23 de maio. Ou seja, com a limitação máxima de cinco alunos de forma simultânea e mediante agendamento.

Além disso, para toda as cidades, independentemente do risco alto ou moderado, o protocolo de distanciamento mínimo entre os usuários deve ser seguido 

MUDANÇAS NA MATRIZ

O governador anunciou um ajuste na metodologia da Matriz de Risco, que classifica o grau de risco dos municípios capixabas com base nas ameaças e vulnerabilidades frente à pandemia. O coeficiente de incidência da doença e a taxa de letalidade vão levar em consideração os dados referentes aos últimos 28 dias.

Também foram retiradas três variáveis externas: a necessidade da permanência do município pelo período mínimo de 14 dias quando for classificado no Risco Alto; a classificação única das cidades da Grande Vitória; e a regra limítrofe. Desta forma, todas as cidades capixabas serão classificadas de forma individual, sem influência do grau de risco dos municípios vizinhos.

“Como ainda a ocupação de leitos está acima de 80%, certamente, todos os municípios nessa próxima semana ficarão em risco moderado ou alto. Também retiramos da matriz algumas outras variáveis externas que influenciavam. Nós não teremos mais, a partir de  segunda-feira, quando vale a nova matriz, aquele tempo de 14 dias. Se o município entrar em risco alto, hoje ele tem que ficar 14 dias. Mas a partir de segunda-feira, não. Se ele entrar em risco alto na segunda e na outra semana sair, já sai sem cumprir os 14 dias. A partir de agora, cada município estará sendo avaliado individualmente, não tem mais uma visão de região metropolitana.”

FUNCIONAMENTO DE RESTAURANTES

Durante a coletiva, Casagrande também comunicou a alteração das regras para o funcionamento de lanchonetes e restaurantes, já a partir da próxima semana. Nos municípios classificados como risco baixo, não haverá mais limitação do horário de funcionamento. Nas cidades com risco moderado, os estabelecimentos poderão funcionar entre 10 horas e 18 horas e também aos sábados, até às 16 horas. Nas cidades de risco alto, será permitido o funcionamento até às 18 horas, de segunda a sexta-feira.

“Teremos uma mudança pontual com relação a restaurantes. Nos municípios de risco moderado, hoje os restaurantes podem funcionar de segunda a sexta-feira até às 16h. Então, nesses municípios de risco moderado, eles poderão continuar funcionando, de segunda a sexta, mas até 18h. E, aos sábados, poderá funcionar também até 16h. No risco alto, os restaurantes poderão funcionar até 18h de segunda a sexta-feira, não podendo funcionar aos sábados.”

ACADEMIAS

Os critérios de funcionamento das academias de ginástica nos municípios de risco moderado também sofrem alteração. A partir da próxima semana, os estabelecimentos não estarão mais limitados ao atendimento de até cinco alunos, de forma simultânea, mediante agendamento. A regra permanece em vigor nas cidades classificadas como risco alto. No entanto, todos os municípios devem continuar a seguir o protocolo de distanciamento mínimo entre os usuários.

“Tem uma outra mudança com relação às academias. Nos municípios de risco moderado, retiramos a limitação de até 5 pessoas e mantivemos a distância entre o equipamento e entre as pessoas fazendo o exercício. Risco alto continua com limitação e risco moderado foi retirado essa limitação, mas as outras regras continuam iguais.”

ESCOLAS E COMÉRCIO

Sobre o funcionamento das escolas, o governador destacou que as aulas continuam suspensas até o dia 31 de julho. Já em relação ao comércio, segundo ele, o que define é a matriz de risco.

“As aulas estão suspensas até o dia 31 e vamos ter que avaliar isso a partir do dia 20. Precisamos observar dia a dia e analisar os dados. Com relação à atividade econômica, é a matriz de risco. Se o município for enquadrado em risco baixo, ele tem a atividade comercial praticamente toda liberada, com o protocolo de distância, álcool em gel, uso de máscaras. Se for município de risco moderado, ele pode funcionar de segunda a sexta-feira. Se for de risco alto, o funcionamento é alternado, de segunda a sexta-feira. O que permite se você tem mais liberdade ou não são as medidas qualificadas de cada risco.”

OCUPAÇÃO DE LEITOS

“Estamos com uma menor pressão sobre os hospitais na Grande vitória, que têm suportado a demanda dessas cidades polos do interior. São ciclos diferentes, tempos diferentes. Estamos estáveis com relação ao atendimento hospitalar. Até o presente momento, conseguimos atender todas as pessoas que demandaram leitos de hospital, seja da enfermaria ou de UTI. Conseguimos estar um passo à frente da pandemia, mas o nosso pedido continua o mesmo. Todos os dias, em algum momento, a gente faz um pedido de que não podemos relaxar com relação ao distanciamento social, ao uso de máscara e à prática de higiene. O vírus está muito ativo, só hoje registramos 38 pessoas que perderam a vida.”

Foto ilustrativa captada nas redes sociais.

ES-FALA/Informações/Governo do Estado/Matriz de Risco/A gazeta

Mais Notícias

Deixe um comentário