Ainda não há definição da volta às aulas, afirma Estado e Secretaria da Educação de Colatina

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Ainda não há definição da volta às aulas. O Secretário de Saúde do Estado do Espírito Santo, Nésio Fernandes, recomendou as escolas que reforcem as tecnologias e metodologias para continuar com o ensino a distância, por tempo indeterminado. 

O pedido aconteceu durante uma entrevista na tarde desta segunda-feira (20), cerca de quatro meses depois que a suspensão do método tradicional precisou ser adotada, como forma de reduzir o contágio pelo novo coronavírus entre a população capixaba.

Na semana passada, o secretário já havia dito que a volta às aulas poderia acontecer apenas em outubro e que o Estado precisa atingir um nível equivalente à transmissão local para a retomada. De acordo com o último decreto publicado, às escolas devem seguir fechadas, pelo menos, até o final deste mês.

O Secretário de Saúde do Governo do Estado ressaltou a importância da suspensão das aulas para o controle da pandemia no Estado e que a retomada precoce das atividades presenciais pode representar riscos à saúde pública, principalmente nas menores cidades capixabas.

O Decreto Estadual é base para todas as escolas municipais, com isso a tendência será uma volta gradual tanto do estado, quanto das escolas municipais, mas ainda sem data definida ou expectativa para o retorno.
 

Segundo a Secretaria Municipal da Educação de Colatina, ninguém tem ainda uma resposta segura sobre quando precisamente os estabelecimentos de ensino, devem reabrir suas portas. Há respostas divergentes pelo mundo, entretanto as equipes educativas estão trabalhando no planejamento da continuidade das atividades educacionais presenciais de forma segura e gradativa por meio da organização de grupos intersetoriais de trabalho – GTs, que desde o início do mês de julho estão se reunindo, discutindo e traçando ações divididas em blocos: ações sanitárias, ações administrativas, ações psicossociais e ações pedagógicas.

Mais Notícias

Deixe um comentário