Mãe de guanduense que morreu em acidente com lancha em Vitória dá exemplo de fé

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Ainda sem acreditar que não verá mais a filha e chorando a todo o momento, a mãe da guanduense Bruna França Zocca, 25 anos, morta em um acidente de lancha, deu uma entrevista para um meio de comunicação da Grande Vitória, e disse que, com muita dor no coração, ela vem buscando entender a vontade de Deus na família.

“Tudo tem um propósito. Se Deus não quisesse que minha filha partisse, ele não teria a colocado na frente da lancha. Ele a me deu para amar por 25 anos e agora a recolheu”, disse a professora aposentada e mãe da jovem, Angela França Zocca, de 53 anos.

A mãe revela a personalidade de sua filha, sempre com muita emoção. “Ela era uma menina maravilhosa. Uma filha preciosa. Ela sempre falava que me amava, era carinhosa comigo e com todos. Caprichosa com as coisas dela. Era a coisa mais preciosa que eu e o pai (Jacimar Zocca), dela tinhamos nessa vida”. Relata a mãe.
Bruna foi estudar em Vitória aproximadamente a quatro anos. Como estudante de fisioterapia, tinha pretensão de se especializar em Fisioterapia Pediátrica, pois gostava muito de criança. A jovem de 25 anos, iniciou o curso de fisioterapia em Colatina, mas após uma amiga conseguir um trabalho para ela em Vitória, transferiu o curso para a capital.

Bruna era uma guerreira, ao ir para cidade de Vitória inicialmente trabalhou em uma loja de venda de rações e morava, na residência de sua tia. Com o passar dos anos conseguiu um estágio na sua área. Bruna segundo amigos que estudaram com ela em colatina, se manifestaram dizendo que sua beleza externa era semelhante a beleza que tinha em seu interior. Muitas manifestações de alunos do Ifes de Itapina, relatando que o educandário estava de luto.

“Acho que foi uma tragédia, por que se Deus não quisesse levar minha filha, que foi um presente maravilhoso, ela não estaria ali na frente. Deus não me revelou nada, mas eu aceito esse peso. Por que se ela não tivesse de ir, ela não teria ficado ali na frente”. Relata a mãe dando um exemplo de força e fé. 

ES-FALA/Informação A Tribuna/Portal Guandu.

Mais Notícias

Deixe um comentário