Veterinária denuncia maus tratos contra animais em bairro colatinense

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

Uma das conclusões que a população europeia chegou ao longo de milhares de anos, é que um dos demonstrativos de que uma nação é “civilizada”, é a forma que ela trata os animais. Essa máxima, levado a sério pelo velho mundo, não está sendo seguida por milhões de pessoas em todo mundo, inclusive no Brasil, onde as leis contra os maus tratos aos animais são brandos e muitas vezes nem sequer aplicada.

Mas da mesma forma tem quem maltrata, existem pessoas que protegem, foi o caso de uma veterinária colatinense, que denunciou os maus tratos que animais estão sofrendo em sua comunidade, Vila Verde, onde o cidadão, cujo nome não foi revelado, está atirando com espingarda de pressão em animais que estão nas ruas.

Os tiros começaram a meses, o alvo eram os galinzes que estavam espalhados pela comunidade devido aos escorpiões que lá se encontram, já que tem muitos lotes vagos e terrenos baldios. Uma das galinhas que foi morta pelo cidadão, estava com vários pintinhos, todos morreram pela falta da protetora que foi morta com um tiro.

A denúncia se deu após o cidadão, atirar em um gato, que várias pessoas da comunidade cuidavam, com ração e água. “O bichinho não fazia mal a ninguém”. Revela a Veterinária Dayanna Luchi. A mesma fez a denúncia pelo disque denúncia 181 e deu parte a polícia. Mas segundo a requerente, nada foi feito pelas autoridades policiais do município até o momento.  

DENUNCIE

Ficar sem ação ao tomar conhecimento de um caso de maus-tratos contra animais é ser conivente com o crime. Nessas situações, não há outra saída a não ser denunciar. Pode ser um cachorro que vive acorrentado na casa vizinha, um pet shop que mantém animais em gaiolas minúsculas ou até um cavalo que é explorado até o seu limite na rua. Todas essas situações ou qualquer outra que configure maus-tratos devem ser levadas a conhecimento da polícia e de entidades ambientais.

A Lei Federal prevê prisão de três meses a um ano para quem pratica maus-tratos, além de multa. Em caso de morte do animal, a punição pode ser aumentada de um sexto a um terço.

E a lei vale para todos, segundo a advogada Mônica Grimaldi, especializada em legislação de animais e área pet. “Seja criador, protetor, médico-veterinário ou detentor de animal, qualquer dessas circunstâncias é considerada crime de maus-tratos, sim”.

Se você ainda tem dúvidas, veja o que é considerado maus-tratos:

– Abandonar

– Ferir, mutilar ou envenenar

– Manter preso permanentemente em correntes

– Manter em locais pequenos e sem higiene

– Não abrigar do sol, da chuva e do frio

– Deixar sem ventilação ou luz solar

– Não dar comida e água diariamente

– Negar assistência veterinária ao animal doente ou ferido

– Obrigar a trabalho excessivo ou superior à sua força

– Utilizar animais em shows que possam lhe causar pânico ou estresse

– Capturar animais silvestres

– Promover violência como rinhas, farra-do-boi, dentre outros

Mais Notícias

Deixe um comentário