Coronavírus: Colatina inicia a semana com 103 mortes. Conheça a última vítima da Covid-19 no município

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on print

A semana tem início com a triste marca de 103 mortes ocasionadas pela Covid-19. Desde o início da pandemia já ocorreram 11.265 notificações sendo que dessas, 5.281 são positivos. Dos contaminados pelo novo coronavírus, até a presente data, 4.367 venceram a Covid-19 e 787 estão em tratamento domiciliar lutando contra a doença.

Neste domingo  (23) mais 12 casos do novo coronavírus foi contabilizado no município de Colatina. A cidade permanece entre primeiros lugares em contaminação entre as cidades do interior. Por semanas Colatina figura entre as três cidades com o piores índices de isolamento social. Durante quase todo o período Colatina oscilou entre 41% a 43%.

O Espírito Santo registrou mais 13 mortes e 645 casos confirmados do novo coronavírus em 24 horas. Com a atualização dos dados, o número de óbitos provocados pela covid-19 subiu para 3.015 e o de infectados para 105.6333. Além disso, 91.548 pacientes se recuperaram da doença no estado.  

Em nível nacional, nos últimos sete dias, a média móvel de novos óbitos foi de 985 a cada 24 horas pelo novo coronavírus. O País registrou neste domingo (23), 495 mortes e 23.023 novas infecções de coronavírus, segundo dados do levantamento realizado pelo Estadão, G1O GloboExtraFolha e UOL com as secretarias estaduais de Saúde. No total, 114,7 mil vidas já foram perdidas por causa da covid-19.

ÚLTIMA VÍTIMA:

No dia do aniversário de Colatina, quando se comemorou 99 anos de emancipação política, a cidade perdeu mais um de seus moradores para a Covid-19. A vítima, um senhor de 65 anos, forte, se cuidava muito, principalmente nesta época de pandemia. Segundo amigos, ele e esposa não saiam de casa, tendo como objetivo de se proteger e evitar o contágio.

Muito conhecido e querido em Colatina, José Antônio Colombo, carinhosamente chamado por todos de Zé Colombo, faleceu vítima do novo Coronavírus, nesta madrugada. O óbito foi registrado por volta 0h:30m, após 27 dias lutando pela vida. Zé Colombo deu entrada em um hospital particular da cidade, na segunda-feira, 27 de julho.

Os primeiros sintomas que Colombo sentiu foi um excesso de muco na garganta que é causado por irritação ou inflamação na região (pigarro). Juntamente com esse sintoma ,percebeu que estava febril. Assim se encaminhou para o hospital no dia 27 de julho e foi internado, mas devido a seu estado, cujo início não era considerado grave, permaneceu quatro dias para ser entubado, o que ocorreu no dia 31 de julho, devido ao agravamento de seu estado de saúde. 

Com o agravamento não suportou as complicações ocasionadas pela doença e veio a falecer aos 65 anos. Colombo, não tinha comorbidades, era reconhecido por ser uma pessoa que se cuidava, tinha uma vida moderada e como citado na reportagem, neste período da pandemia, saia raramente de sua residência exatamente para cumprir o isolamento social, como revelou seu inquilino, Geraldinho, ex-proprietário de um dos principais bares de São Silvano,o bar do “Geraldinho”, em frente a ACD.

Zé Colombo nasceu no município de Santa Tereza, mas veio há muitos anos para Colatina onde teve, em locais diferentes, estabelecimentos comerciais. Um dos mais famosos, foi o “Bar Apolo” no centro de Colatina, que durante muitos anos atendeu clientes do comércio colatinense e de bairros adjacentes. Outro estabelecimento de muito sucesso foi o “Bar do Colombo”, em São Silvano, que por anos foi um sucesso no atendimento e clientela.

“Uma pessoa querida, que tratava todos com muito respeito e era muito respeitado por todos nós”, foram as expressões mais ouvidas junto aos amigos, clientes e parentes no período que a reportagem estava sendo construída. Esse carinho se reflete na fala de sua filha Dra Katharine Colombo que emocionada disse: “Era o melhor pai do mundo. Quantos exemplos positivos vieram dele, honestidade, carinho, amor” revela a filha.

Uma vida de luta, trabalho e honestidade, foi ceifada em Colatina neste sábado (22). José Antonio Colombo, deixa esposa, Dona Marlene Colombo, dois filhos, ambos médicos, Dra Katharine Colombo e Dr Thiago Colombo e uma infinidade de amigos, companheiros, familiares, que nutriam por ele muito carinho e respeito pelo que representou e pelo caráter ilibado que possuía. 

Mais Notícias

Deixe um comentário