Governo do Estado: ocupação de leitos de UTI exclusivos para covid-19 chega a 93,23% no Espírito Santo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Um total de 730 pessoas continuam internadas em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivas para o tratamento da covid-19, de acordo com informações do secretário de Saúde, Nésio Fernandes. 

O secretário informou por meio de uma rede social, na tarde deste sábado (20), que o Espírito Santo atingiu 93,23% de taxa de leitos públicos UTI-covid. 

Nesta semana, o governo do Espírito Santo entregou mais leitos de UTI exclusivamente para o tratamento da covid-19 em dois hospitais da Grande Vitória e em um do sul do estado. No Hospital Estadual Dório Silva, foram abertos 18 novos leitos; em São José do Calçado, 22 . Já no Hospital Estadual Jayme dos Santos Neves, 15 novos leitos foram abertos.

Os hospitais privados também esgotaram sua capacidade de leitos. Em entrevista ao programa Fala Espírito Santo, na TV Vitória, no dia 17 de março, o secretário reconheceu que a situação da rede privada e filantrópica está prestes a colapsar. “Os hospitais privados esgotaram sua capacidade de leitos e já estão trabalhando em sua maioria em 90% e em 100% de ocupação”, destacou.

O governado Renato Casagrande também usou as redes sociais para alertar a população sobre a situação dos leitos no Espírito Santo. ]

Casagrande ressaltou ainda que no dia 1º de março, o Estado tinha 694 leitos disponíveis. 

Em entrevista ao programa “Fala Espírito Santo”

, o secretário afirmou que a rede privada e filantrópica de hospitais não têm mais capacidade de atendimento para pacientes graves de covid-19. “Os hospitais privados esgotaram sua capacidade de leitos e já estão trabalhando em sua maioria em 90% e em 100% de ocupação”.

Ele já havia mencionado que a situação estava crítica, quando alertou que a rede privada não possuía mais leitos disponíveis para compra pelo SUS. “Mesmo quem tem dinheiro para comprar um hospital inteiro, com muitos recursos financeiros, corre um grande risco de não ter um leito disponível, caso desenvolva e evolua a uma condição crítica de covid-19”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular