Cidade a 75 km de Colatina decreta lockdown

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O prefeito de São Gabriel da Palha, cidade a 58 km de Colatina, Thiago Rocha (PSL), decretou restrições ainda mais rígidas do que a quarentena determinada pelo Governo o Estado. Na última semana, o político chegou a desafiar a determinação estadual e afirmou que os estabelecimentos comerciais na cidade funcionariam normalmente, mas recuou após ser notificado pelo Ministério Público Estadual.

Segundo o decreto, a partir desta quarta-feira (24), passa a vigorar um toque de recolher nas ruas da cidade, das 20h às 6h. Além disso, todos os setores do comércio, com supermercado e farmácias podendo funcionar somente no sistema delivery. As medidas tem características próximas de um lockdown, já que serviços essências foram fechados e a livre circulação impedida parte do dia.

No Decreto nº 2.118, o prefeito considera a proximidade com Barra de São Francisco, que é um dos epicentros da variante do coronavírus no Espírito Santo, e o aumento de casos no município para tomar as medidas. Além disso, o documento considera a ocupação de leitos acima de 90% no Estado.

Segundo o painel Covid-19, mantido pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), São Gabriel da Palha contabiliza 4.343 casos confirmados da doença e 48 óbitos.

Além de São Gabriel da Palha, as cidades vizinhas  de Barra de São Francisco, que fica a 85 km de distância e Água Doce do Norte, que fica a 115 km de distância, fizeram decretos parecidos para tentar diminuir a contaminação pelo novo coronavírus.

DECRETO MUNICIPAL CONTRARIOU QUARENTENA ESTADUAL 

Após o decreto de quarentena feito pelo Governo do Estado, Rocha disse que não iria impedir os estabelecimentos comerciais funcionarem na cidade. No entanto, após ser notificado pelo Ministério Público Estadual, o prefeito recuou e decidiu respeitar as restrições da quarentena de 14 dias estabelecidas pelo Estado.

O chefe do executivo municipal havia publicado um decreto permitindo o funcionamento de todos os setores do comércio considerados não essenciais

ESFALA/Informação A Gazeta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular