Polícia

Homem é preso por dirigir embriagado em Colatina

Policiais militares realizavam neste domingo (24), cerco tático na Avenida Sílvio Avidos, em São Silvano, Colatina, quando abordaram uma motocicleta Honda Biz. O condutor A.S.F.,

Colatinense sofre racismo nas redes sociais e denuncia à polícia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A colatinense Carol Inácio, moradora do Bairro Maria das Graças, que é militante do Movimento de Mulheres Negras de Colatina, registrou Boletim de Ocorrência (BO) esta semana, após ter sofrido pela segunda vez ataques racistas nas redes sociais. Carol, que também é afroencer, termo que, como explica, é uma mistura de afro com influencer, tem um perfil no Instagram, o @ afrocarol. Nele, aborda temas como feminismo negro e empoderamento feminino, o que acredita ter motivado as agressões.

O ato de racismo ocorreu neste domingo (8), quando Carol foi inserida em um grupo de WhatsApp chamado Realities Red Pill Opressor, com cerca de 130 pessoas. No grupo, consta a seguinte descrição: “Somos homens, brancos, hetero normais, devido a isso te oprimimos, né? Portanto, assuma seu lugar de inferioridade total”. Abaixo da descrição, constam frases como “gayzismo é doença” e “feminismo é lixo”. Nas mensagens enviadas para o grupo, Carol afirma ter sido chamada de “negra porca”, além de os participantes escreverem que “negro fede”.

Carol afirma ter ficado muito abalada com o ocorrido e que não dormiu de domingo para segunda, mas que agora está tranquila, pois tem recebido apoio dos movimentos sociais, advogados e do mandato da vereadora de Vitória, Camila Valadão (Psol), que é sua colega de partido. “Queria que as pessoas tivessem mais respeito pela gente que é preta, que tem cabelo crespo, que tem uma orientação sexual diferente”, desabafa.

O trabalho que faz na internet, destaca, é “árduo, de muita luta”, mas deve continuar. “Porém, dizer que está sendo fácil, não está”, lamenta.

Esta não foi a primeira agressão sofrida por Carol. Ela recorda que em 22 de julho, após postar um vídeo de sua mãe e sua tia se vacinando contra a Covid-19 e gritando “Viva o SUS!” e “Fora, Bolsonaro!”, ela foi inserida em um grupo de WhatsApp chamado “Abaixo o Negrismo”, com cerca de 30 pessoas, no qual a postagem dela foi publicada.

Carol relata que saiu do grupo e depois recebeu uma mensagem de uma pessoa que estava nele, perguntando “e aê?”, mas a bloqueou. Posteriormente, outra pessoa que estava no grupo enviou prints das mensagens enviadas para a militante Movimento de Mulheres Negras de Colatina, após Carol ter sido bloqueada. De acordo com a afroencer, nos prints sua tia e sua mãe eram chamadas de “imundas” e “dois lixos”. Além disso, foi dito que ela “paga de militante e saiu do grupo porque não quer debate”.

fonte: Século Diário

7 respostas

  1. Imundos são os intolerantes racistas, homofóbicos, misóginos, arianistas que militam só na internet e fogem dos debates da vida real nas câmaras, plenários, parlamentos, e debates eleitorais públicos e regrados

  2. Isso é ridículo e até hoje ja no final do mundo ainda vivemos este preconceito … uma pena !!
    Eu sou branco e pra mim todos nos independentes de cor, raça , religião …. somos todos iguais ,todos iguais mesmo !! Não existe diferença alguma somos todos iguais !! Fico eu muito sentido quanto a certas atitudes de certas pessoas .

  3. Como jornalista posso te garantir que todos profissionais de Imprensa estão solidários com você, Carol.
    Particularmente posso lhe garantir toda solidariedade de um histórico defensor dos direitos de cidadania das diversidades sociais e movimentos populares de Colatina.

  4. Carol, segue firme. Estamos com você. Monstrengos, que saem do esgoto, morrem de medo de gente de verdade, de seres humanos. Têm tanta vergonha de si mesmos que se escondem nos esgotos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular