Colatina conquista padrão internacional em redução de homicídios

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A cidade de Colatina é o município com mais de 100 mil habitantes com a menor taxa de homicídios no Espírito Santo em 2021, atingindo uma taxa de homicídios com padrão internacional, com 8,85/100mil. Já é o quarto ano seguido de uma série recorde de redução. Em 2018, foram 16 assassinatos; em 2019, foram 15; e em 2020, foram 13. Já em 2021, foram registrados 11 homicídios, sendo nove elucidados e com prisões, gerando um índice de resolutividade de 81%.

Além disso, a cidade se tornou a menos violenta do Espírito Santo, com mais de 40 mil habitantes. A redução foi um trabalho intenso de investigação, conduzido pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Colatina, além do apoio preventivo e nas operações da Polícia Militar.

“A redução está sendo alcançada e sedimentada devido a um trabalho constante de identificação dos pontos de tensão entre grupos criminosos rivais atuantes na cidade, de forma a permitir a retirada de potenciais homicidas e potenciais vítimas de homicídio de circulação antes que os crimes aconteçam. Serviço esse, que é feito basicamente com o combate às facções de tráfico de drogas”, conta o titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Colatina, delegado Deverly Pereira Junior.

Nos anos de 2018 e 2019, os dois primeiros anos da redução, foram realizadas as Operações Dagorlad e Mark Chapman, que resultaram na prisão e no indiciamento de cerca de 120 indivíduos integrantes dos grupos de tráfico de drogas mais violentos da cidade. Antes dessas operações, em média, eram registrados 30 assassinatos.

Já nos anos de 2020 e 2021, de acordo com o delegado Deverly Pereira Junior, foi realizado o combate ao tráfico e a identificação e a prisão dos indivíduos nele envolvidos com mais disposição para embates violentos com o uso de arma de fogo. E se seguiu, com operações menores e mais estratégicas, realizadas de forma integrada entre a Polícia Civil e a Polícia Militar no município.

De acordo com o comandante do 8° Batalhão, tenente-coronel Sandro Roberto Campos, ao longo de 2021, várias medidas foram adotadas pela unidade, que, possivelmente, contribuíram para essa redução significativa, como apreensões de armas de fogo, drogas ilícitas e prisões de pessoas em situação de cometimento de delitos. Um trabalho diuturnamente realizado por oficiais e praças de nossa unidade.

“A sedimentação da redução do indicador de homicídios, por quatro anos consecutivos, é alicerçada em quatro pilares, sendo eles o comprometimento dos militares da Unidade com a missão constitucional da Polícia Militar; a integração entre os órgãos pertencentes ao sistema de persecução criminal; o planejamento operacional baseado em prevenção e repressão qualificada com utilização de inteligência policial; e a parceria da PM e sociedade civil organizada, já que sem a população, sem o fluxo de informação e a credibilidade depositada, seria muito difícil atuar”, disse.

E prosseguiu: “além disso, a cultura de gestão da unidade, baseada na valorização do maior patrimônio da Instituição, o policial militar, com projetos motivacionais e tratamento humanizado, eleva o sentimento de pertencimento e responsabilidade pelos resultados. A sinergia entre todos os envolvidos nesse processo propicia um ambiente harmônico que reflete diretamente na qualidade do serviço de segurança pública ofertado ao cidadão colatinense.”

O comandante destacou ainda as reuniões mensais coordenadas pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) no âmbito das Áreas Integradas de Segurança Pública com os delegados da Polícia Civil, em que são compartilhadas informações alusivas aos homicídios ocorridos e, então, promovidas operações neste sentido.

“Para este ano de 2022, estamos em fase de elaboração do nosso Plano de Comando com várias ações de cunho preventivo com ênfase na filosofia de Polícia Comunitária”, afirmou o comandante.

Por fim, o tenente-coronel lembra que ainda há por fazer, sobretudo, quanto à enorme e desafiadora medida de manter e reduzir as taxas alcançadas ao longo de 2021, porém ressalta que este resultado somente é atingido a partir de uma visão intersetorial e multidisciplinar, não vinculada a apenas uma Instituição, mas a uma imensa teia de Instituições e medidas que vão se aglutinando com o tempo, envolvendo Ministério Público, Judiciário, assistência social, entre outros entes que possuem diferentes e relevantes olhares que devem interagir entre si.

ES FALA: informação Matheus Zardini e Priscila Barcelos

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notícias exclusivas diariamente no seu celular